Aproveitamento de alimentos: canal de TV estreia série de receitas com ingredientes inusitados

Publicado em

O Food Network, canal de TV por assinatura e desenvolvedor de conteúdo multiplataforma, estreia no dia 18 de maio em suas redes sociais e site, e posteriormente no canal de televisão, a série gastronômica Restô Food Network, com receitas criadas a partir de aproveitamento de alimentos que utilizam ingredientes como cascas, talos e folhas.

Brigadeiro feito a partir de casca de banana? Sim, é possível!
Brigadeiro feito a partir de casca de banana? Sim, é possível!

Com opções sustentáveis e acessíveis, criadas com a consultoria da ONG Banco de Alimentos, associação que atua com o objetivo de minimizar os efeitos da fome e combater o desperdício de alimentos, a série conta com 10 episódios – divididos entre receitas doces, salgadas, bebidas e aperitivos – que compartilham como utilizar integralmente os ingredientes, promovendo o consumo responsável e a economia doméstica.

No primeiro episódio, a receita tradicional de brigadeiro ganha o complemento da casca de banana, que além de acrescentar nutrientes ao preparo – como o aumento de fibras e maior teor de minerais em relação ao fruto, contribui para a diminuição de resíduos, já que a banana é a segunda maior fruta consumida do planeta, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Brigadeiro de casca de banana é receita de estreia do Restô Food Network
Brigadeiro de casca de banana é receita de estreia do Restô Food Network

Atualmente, são descartados 1,3 bilhão de toneladas de alimentos por ano no mundo, segundo os dados de 2013 da FAO, e a maior parte da falta de aproveitamento integral ocorre na cozinha. Pensando nisso, o Food Network produziu a série, e, segundo a ONG parceira Banco de Alimentos, os benefícios em consumir integralmente frutas, legumes e vegetais são inúmeros. Dentre eles, o aumento da ingestão de vitaminas, minerais e fibras, que auxiliam no funcionamento do organismo e na diminuição do colesterol, além da redução do lixo orgânico e melhoria da economia.

“Como marca focada em gastronomia e lifestyle, pensamos em diversos aspectos da alimentação. O aproveitamento integral dos alimentos é importante para o público que se preocupa com a sustentabilidade atual e também das gerações futuras”, diz Adriana Alcântara, vice-presidente de marketing e produção da Scripps Networks Interactive Latin America.

A série Restô Food Network apresenta receitas que vão de opções simples para o café da manhã, como bolo de casca de abóbora e chocolate e pão de queijo com talos de rúcula, até receitas elaboradas para o almoço entre amigos, como risoto de casca de abobrinha, suflê de cascas e folhas de cenoura e refrigerante caseiro. A partir do dia 18, toda semana, às 17h, um novo vídeo vai ao ar na internet e, posteriormente, para o canal de televisão.

Veja a receita de estreia do Restô Food Network, de brigadeiro de casca de banana:

Ingredientes

2 latas de leite condensado
2 colheres de sopa de manteiga sem sal
4 colheres de sopa de chocolate em pó
4 unidades de casca de banana

Preparo

Higienize as cascas de banana com hipoclorito de sódio, seguindo as instruções de rotulagem, e corte-as em cubinhos;
Bata todos os ingredientes, com exceção da manteiga, no liquidificador;
Em uma panela em fogo médio derreta a manteiga e acrescente a mistura do liquidificador;
Mexa até o brigadeiro soltar do fundo da panela;
Deixe esfriar.

Rendimento: 20 porções de 20g cada;
Tempo de preparo: 35 minutos;
Dificuldade de preparo: fácil.

Etapa do desligamento da TV analógica é considerada de sucesso

Publicado em

Há pouco mais de um mês, as emissoras de televisão da Região Metropolitana de São Paulo passaram a transmitir, exclusivamente, o sinal digital. A etapa do desligamento da TV analógica no Brasil foi considerada de sucesso pelo Grupo de Implantação do Processo de Distribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (Gired) – formado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Entidade Administradora do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (EAD) e representantes de emissoras de TV e empresas de telecomunicações –, em reunião realizada nesta semana.

Entre os fatores que levaram ao êxito do desligamento da TV analógica em São Paulo, estão a ‘logística acertada na distribuição de kits (antena e conversor) aos inscritos nos programas sociais do governo federal’ e à divulgação de informações sobre o encerramento das transmissões analógicas na Região Metropolitana, que ocorreu em 29 de março de 2017.

Desligamento da TV analógica está condicionado à capacidade de, pelo menos, 93% dos domicílios da região já receberem sinal digital
Desligamento da TV analógica está condicionado à capacidade de, pelo menos, 93% dos domicílios da região já receberem sinal digital

O encerramento das transmissões de TV analógica está condicionado à capacidade de, pelo menos, 93% dos domicílios da região já receberem os sinais de TV digital. Em São Paulo, pesquisa realizada entre 31 de março e 10 de abril de 2017 mostrou que 95% dos domicílios já contam com a TV digital.

Segundo o Gired, no último mês antes do encerramento das transmissões, 2,5 mil reportagens foram publicadas na imprensa sobre a TV digital, sendo 1,9 mil sobre o desligamento em São Paulo, o que resultou em 600 mil menções ao fim das transmissões analógicas nas redes sociais.

A próxima cidade a desligar a TV analógica é Goiânia e Região Metropolitana, em 31 de maio. Em São Luís, o desligamento está previsto para ocorrer em 28 de março 2018.

Dúvidas sobre o desligamento da TV analógica no Brasil podem ser esclarecidas por meio da central telefônica da Seja Digital, 147 (chamada gratuita).

Desventuras em Série no Netflix: assisti, e deixo minha opinião

Publicado em

Estreou nesta sexta-feira, 13, a primeira temporada da tão esperada – por seus fãs – série de fantasia Desventuras em Série (Lemony Snicket’s A Series of Unfortunate Events, 2017) no Netflix. Adaptação da obra de Daniel Handler, de mesmo nome, a peça causou grande expectativa. Assisti e, mantendo o que tenho aqui no blog, deixo algumas das minhas impressões.

Quem não leu a série de livros pode ter, ainda assim, a história como familiar. A primeira adaptação da obra surgiu em 2004, no filme dirigido por Brad Silberling. O roteiro conta a trajetória dos irmãos Baudelaire – Klaus (Louis Hynes), Violet (Malina Weissman) e Sunny (Presley Smith) –, após perderem os pais em um misterioso incêndio. Alvo da ambição de conde Olaf, um quase desconhecido parente com quem passa a morar, o trio passa a ter como missão proteger a si mesmo e buscar respostas para o mistério.

Desventuras em Série conta trajetória dos irmãos Baudelaire, após perderem pais em misterioso incêndio
Desventuras em Série conta trajetória dos irmãos Baudelaire, após perderem pais em misterioso incêndio

No papel de Olaf, está o aclamado Neil Patrick Harris – também produtor da série –, de How I Met Your Mother. Sendo bem sincero, acredito que a atuação de Neil – apesar de propositalmente se aproximar de sua versão original, em livro – deixa muito a desejar, em especial em suas diversas caracterizações – o que se aproximaria daquela terrível sensação de não rir de uma piada até boa, mas mal contada. Difícil não comparar com Jim Carrey, Olaf da primeira adaptação em longa-metragem. Nesta adaptação, entretanto, quem se destaca é a pequena Presley, no papel de Sunny.

Neil Patrick Harris vive ganancioso conde Olaf em Desventuras em Série, no Netflix
Neil Patrick Harris vive ganancioso conde Olaf em Desventuras em Série, no Netflix

Aliás, como um todo, fica difícil acreditar que a série não buscou, ao menos um pouquinho, inspiração no longa de 2004. Mais parece uma versão bem estendida do filme. Um dos motivos que me levam a crer nisso é a enorme semelhança entre Malina Weissman e Emily Browning, ambas no papel de Violet. Como adaptação para a ‘TV’ – ou Netflix –, faltou um pouco mais de ‘ousadia’ – será que ela virá na segunda temporada, prevista para 2018?

É como ler o livro…

Se Desventuras em Série no Netflix possui algum mérito, esse é o de permitir ao espectador experimentar a linguagem literal em audiovisual; desde dar vida a Lemony Snicket (Patrick Warburton) – pseudônimo de Handler –, que tem papel fundamental e mais presente entre narrador, repórter e investigador dos fatos vividos pelos irmãos Baudelaire – na primeira versão, Jude Law deu vida, em silhueta, a Snicket – ; até o de criar melancólicos, sombrios e fantásticos cenários bem característicos da série.

Exceto pela insípida abertura, Desventuras em Série parece uma boa opção aos afeiçoados pelo gênero.

Professor Imprensa recebe indicações para segunda edição

Publicado em

Termina nesta segunda-feira (24) o período de indicações de professores dos cursos de comunicação social, jornalismo, publicidade, marketing, relações públicas e rádio e TV para a segunda edição do prêmio Professor Imprensa, promovido pelo portal Imprensa. As indicações podem ser feitas pela internet.

LEIA TUDO JÁ PUBLICADO SOBRE COMUNICAÇÃO

O projeto encoraja acadêmicos desses cursos a ‘apontarem professores cujos métodos de ensino tenham sido eficazes durante a graduação em comunicação e que tenham transmitido o conteúdo programático adequadamente’. Os estudantes aptos a indicar devem estudar ou ter estudado na graduação ou pós-graduação (lato sensu ou stricto sensu) em comunicação.

A votação popular se estende até novembro de 2016. Os vencedores serão divulgados na segunda quinzena de novembro de 2016, no portal Imprensa.

Além do reconhecimento por meio de certificados e de um especial editorial, o projeto reconhece também o empenho dos alunos e ex-alunos que se dispuserem a participar indicando seus professores.

Stranger Things

Publicado em

Stranger Things: o que dizer? Foi grande a repercussão da nova série do serviço de streaming Netflix, e fui contaminado por ela – apesar de não ser fã do gênero suspense. O sucesso da websérie de oito horas e capítulos distribuídos à vista só comprova que a audiência cada vez mais migra das tradicionais mídias para o catálogo não linear das produções. Deixo aqui algumas impressões sobre Stranger Things, que estreou neste mês de julho de 2016.

Garotos buscam por amigo desaparecido em Stranger Things
Garotos buscam por amigo desaparecido em Stranger Things
A história criada por Matt e Ross Duffer é ambientada em 1983, na calma cidade de Hawkings. Tudo começa com estranhos acontecimentos que resultam no misterioso desaparecimento do inocente garoto Will Byers (Noah Schnapp). A partir daí, seus amigos Mike (Finn Wolfhard), Lucas (Caleb McLaughlin) e Dustin (Gaten Matarazzo); seu irmão Jonathan (Charlie Heaton); e o chefe de polícia Hopper (David Harbour) iniciam uma intensa busca para achar o garoto.

Leia outras publicações do blog sobre Diversão

A busca, no entanto, é cercada de mistérios e experiências sobrenaturais. Joyce (Winona Ryder), mãe de Will, acredita se comunicar com o garoto desaparecido mesmo com todos acreditando que ele está morto. O ceticismo, entretanto, vai caindo por terra depois que cada um dos personagens passam a viver situações paranormais.

Winona Ryder é Joyce em Stranger Things
Winona Ryder é Joyce em Stranger Things
No centro de todo o mistério e desses fenômenos está a menina Onze (Millie Brown), chamada assim porque leva o numeral ‘011’ em seu braço. Ela foi alvo de diversas experiências comandadas pelo Dr. Martin Brenner (Matthew Modine). Ele e agentes do governo buscam recapturar a jovem, que, junto de Mike, Lucas e Dustin, tenta entender o que acontece com sua mente.

Busca leva a estranhos experimentos do governo
Busca leva a estranhos experimentos do governo
A chave da explicação dos fenômenos está na ciência. As crianças creem que o desaparecimento de Will e outros acontecimentos são provocados pelos ‘buracos de minhoca’ ou ‘pontes de Einstein-Rosen’ – atalhos no espaço-tempo estudados por Albert Einstein e Nathan Rosen –, que poderiam criar portais para outras dimensões, ou mais especificamente o ‘Mundo Invertido’. Foi nesse ponto que a série me conquistou.

O roteiro de Stranger Things utiliza de elementos de jogos de RPG para criar uma trama consistente e que te prende de início ao fim. Seus personagens são cativantes, e não poderia deixar de ser com um elenco tão competente e afinado. Sua objetividade é compatível com o imediatismo dos espectadores e acerta na perfeita caracterização, trazendo elementos de verdadeira nostalgia para quem assiste.

Suspense e angústia de sobra para quem já espera pela segunda temporada – garantida, mas sem data de distribuição prevista.

Wow!Play: o ‘Netflix’ dos animes

Publicado em
Jaspion (Foto: Divulgação)
Jaspion (Foto: Divulgação)

A partir deste mês de julho, os geeks e fãs de produções asiáticas terão a seu dispor um novo serviço que promete ser o ‘Netflix’ dos animes: trata-se do serviço de streaming Wow!Play, uma iniciativa brasileira que aposta nesse segmento. O lançamento ocorre durante a Anime Friends, em São Paulo.

No catálogo, super-heróis japoneses que marcaram época e fizeram sucesso nos anos 80 e 90 na TV Manchete, como Jaspion e Jiraiya; filmes clássicos de Bruce Lee e Jackie Chan, além de produções atuais como Black Butler; e animes como Doraemon e Os Cavaleiros do Zodíaco.

O serviço traz ainda produções que marcaram gerações, como Topo Gigio; e animações do Universo Marvel, como Hulk, Os Novos Vingadores e Thor.