TV por assinatura no Brasil registra redução de 136,78 mil assinantes

Publicado em

O setor de TV por assinatura registrou uma queda na base de assinantes de -0,73% em maio de 2017, na comparação com o mês anterior. No período, as empresas de TV paga perderam 136,78 assinantes, totalizando 18,64 milhões no mês, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Nos últimos 12 meses, a redução foi de assinantes alcançou -1,39%, com a saída de 262,56 usuários.

TV por assinatura no Brasil registra redução de 136,78 mil assinantes
TV por assinatura no Brasil registra redução de 136,78 mil assinantes

Por grupo econômico, a Oi apresentou a maior crescimento de abril para maio de 2017 e nos últimos 12 meses, 1,25% e 16,21% respectivamente. Nossa TV, Claro e Vivo apresentaram redução em ambos os períodos.

Entre abril e maio de 2017, quase todos os Estados brasileiros apresentaram redução no número de assinantes de TV por assinatura, exceto Maranhão (0,45%), Piauí (0,41%), Rio Grande do Sul (0,08%) e Tocantins (0,01%) que registraram pequenos crescimentos.

Na comparação entre maio de 2017 e maio de 2016, no entanto, Piauí, com 9,14%; Maranhão, com 7,68%; Rio Grande do Norte, com 5,21%; e Pará, com 4,84%, lideraram o crescimento.

TV por assinatura tem redução de 171,23 mil assinantes em todo o Brasil

Publicado em

O setor de TV por assinatura registrou queda de 0,9% em abril de 2017, na comparação com o mês anterior, com a diminuição de 171,2 mil assinantes, segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) esta semana. No mês, a base total de assinantes chegou a 18,76 milhões.

TV por assinatura tem redução de 171,23 mil assinantes em todo o Brasil
TV por assinatura tem redução de 171,23 mil assinantes em todo o Brasil

Nos últimos 12 meses, a redução foi de 147,47 mil assinantes (-0,78%), de acordo com a Anatel.

Todos os Estados brasileiros apresentaram, entre março e abril de 2017, redução no número de assinantes de TV por assinatura. No entanto, na comparação entre abril deste ano e abril de 2016, Piauí, com 9,66%, Maranhão, com 7,32% e Rio Grande do Norte, com 6,26% lideraram o crescimento.

Grupos econômicos e tecnologias

Dos grupos econômicos acompanhados pela Anatel, a Oi apresentou a maior crescimento de março a abril e nos últimos 12 meses, 1,63% e 15,78% respectivamente. Claro/NET e Vivo apresentaram redução em ambos os períodos.

Quanto às tecnologias, entre março e abril de 2017, a fibra ótica apresentou crescimento de 0,14%. Todas as outras tecnologias apresentaram redução. No entanto, em 12 meses a fibra ótica registrou crescimento de 20,6% e o número de usuários receptores de satélites se manteve praticamente estável (0,19%).

TV por assinatura registra queda de 337,7 mil usuários em 12 meses

Publicado em

O setor de TV por assinatura no Brasil registrou, em 12 meses, queda de 337,70 mil assinantes, variação negativa de 1,78%. Os dados são referentes a março de 2016 e março de 2017, e foram divulgados esta semana pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Em março de 2017, a base de assinantes chegou a 18,61 milhões, 9,98 mil assinantes a menos em comparação com fevereiro de 2017, queda de 0,05%.

Na contramão da crise, Piauí, Maranhão e Pará lideraram crescimento do setor de TV por assinatura em 12 meses
Na contramão da crise, Piauí, Maranhão e Pará lideraram crescimento do setor de TV por assinatura em 12 meses

Entre os Estados brasileiros, Pernambuco foi o que liderou a redução percentual de assinantes em 12 meses, com 7,42% a menos; seguido de Goiás (-6,18%) e Rondônia (-5,4%).

Entre os Estados que lideraram o crescimento da TV por assinatura em 12 meses, estão o Piauí, com 9,13% de assinantes a mais; Maranhão, com 6,62% – onde a base de assinantes subiu de 162,13 mil para 172,86 mil –; e Pará (3,31%).

Entre fevereiro e março de 2017, Rio Grande do Norte liderou a redução percentual nos números de usuários de TV por assinatura (-5,71%); seguido por Sergipe, com redução de 2,55%; e Tocantins (-1,42%).

Empresas mais reclamadas no Maranhão: oito de 10 se mantêm no ranking

Publicado em

Na ‘semana do consumidor’, o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-MA) divulgou o ranking das 10 empresas mais reclamadas no Maranhão, relativo a 2016. Apesar de um número menor de reclamações comparado ao ano anterior, oito delas se mantiveram no ‘top 10’ do Procon-MA. Duas – Oi Fixo e a Oi Móvel – encabeçam a lista pelo terceiro ano consecutivo.

Segundo o Procon-MA, do total de 56,6 mil reclamações formalizadas no período – contra operadoras de telefonia móvel, fixa e de TV por assinatura; além de empresas de crédito, tecnologia e prestadoras de serviços –, 98% tiveram solução após mediação do instituto.

A divulgação dos números de empresas mais reclamadas no Maranhão ocorreu durante a terceira edição da Semana Estadual de Prevenção e Combate ao Superendividamento.

Aparecem na lista as seguintes empresas: Oi Fixo (com 223 reclamações), Oi Móvel (194), Companhia Energética do Maranhão (Cemar, 158), SKY (84), Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema, 83), Caixa Econômica Federal (60), Bradescard (50), Samsung (48), Claro Móvel (47) e Claro Fixo e TV (41).

Divulgação ocorreu na Semana Estadual de Prevenção e Combate ao Superendividamento
Divulgação ocorreu na Semana Estadual de Prevenção e Combate ao Superendividamento (Foto: Procon-MA/Divulgação)

Em 2015, de acordo com dados do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), o ranking era formado pelas seguintes empresas: Oi Fixo (392 reclamações), Oi Móvel (297), Caema (135), CCE (107), Cemar (93), SKY (81), Bradescard (57), Caixa Econômica Federal (51), Claro Móvel (41) e TIM (40) – veja o comparativo entre 2016 e 2015 abaixo.

No ano passado, Samsung e Claro Fixo e TV passaram a integrar a lista, enquanto CCE e TIM saíram do ranking.

Empresas mais reclamadas no Maranhão são termômetro para trabalho do Procon-MA

Vamos continuar realizando ações preventivas, de orientação e fiscalização, para assegurar o pleno respeito aos direitos dos consumidores
Duarte Júnior, presidente do Procon-MA

Por meio de um programa de intensas fiscalizações, sanções e cobranças junto aos fornecedores, o Procon-MA reduziu em 61% o número de reclamações fundamentadas e não atendidas pelos consumidores (1,06 mil reclamações). Desde 2015, o número vem caindo cada vez mais, fazendo com que o percentual de solução de conflitos subisse de 93%, em 2015, para 98%, em 2016.

O presidente do instituto, Duarte Júnior, ressalta que o trabalho do Procon-MA tem garantido ‘os melhores indicadores de solução de conflitos, harmonizando as relações de consumo por meio da absoluta defesa do direito do consumidor’, o que tem levado a alguns fornecedores a melhorar seus serviços, mas reconhece que é necessário avançar em outros setores, como o de telecomunicações e serviços bancários e de crédito.

Para o órgão, além de servir como um termômetro do trabalho, o ranking das mais reclamadas e o índice de solução de conflitos servem para fazer que o consumidor compreenda e compare quais as empresas buscam melhorar seus serviços e quais permanecem com falhas.

TV por assinatura registra queda de 105,42 mil assinantes em todo o Brasil

Publicado em

O mercado de TV por assinatura sentiu o peso da crise econômica no Brasil e registrou queda de 105,42 mil assinantes em todo o Brasil, entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017. Os números são da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

No período, somente dois grupos econômicos apresentaram crescimento na base de assinantes. Todos os outros registraram queda. Entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017, os grupos que trabalham com fibra ótica foram os únicos que registraram crescimento de 0,22%. Em 12 meses, a tecnologia teve alta de 27,35%, com 47,59 mil novos assinantes.

Também entre dezembro e janeiro, o Ceará liderou a redução percentual nos números de usuários de TV por assinatura, com 1,73% de assinantes a menos, seguido pelo Amazonas (-1,62%) e Amapá (-1,54%).

Piauí e Maranhão registraram alta, de 0,19% e 0,06% respectivamente.

Em 12 meses, TV por assinatura perdeu 364,45 mil usuários

Em 12 meses, a base de assinantes em todo o país caiu de 19,05 milhões para 18,69 milhões, 364,45 mil assinantes a menos, diminuição correspondente a 1,91%.

No período, Pernambuco liderou a redução percentual de assinantes em todo o país, com 8,02% de usuários a menos, seguido de Rondônia (-7,98%) e Amapá (-7,58%).

Lideram o crescimento da TV por assinatura em todo o país Piauí, com 7,47%; Sergipe, com 4,26%; e Maranhão, com 4,08% de novos assinantes.