Telefonia móvel no Brasil registra queda de 2,35 mil linhas

Publicado em

Em junho de 2017, o setor de telefonia móvel no Brasil registrou uma ligeira queda, com 2,35 mil linhas comparado a maio. No mês, o país alcançou 242,11 milhões de linhas móveis em operação. Já nos últimos 12 meses, a redução foi de 11,29 milhões de linhas móveis (-4,46%). Os dados foram divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) esta semana.

Em 12 meses, redução foi de 11,29 milhões de linhas na telefonia móvel
Em 12 meses, redução foi de 11,29 milhões de linhas na telefonia móvel

Os Estados que apresentaram maior queda no número de linhas móveis foram Rio Grande do Sul, com 42,02 mil linhas móveis (-0,3%); Pará, com 25,64 mil (-0,34%); e Bahia, com redução de 17,10 mil linhas (-0,11%).

Já os Estados com maior crescimento no número de linhas foram São Paulo, com aumento de 125,81 mil (0,2%); seguido por Pernambuco, com 11,31 mil novas linhas (0,11%); e Ceará, com 10,09 mil novas linhas (0,11).

Nos últimos 12 meses, todos os Estados apresentaram queda no número de linhas móveis.

Entre as tecnologias, o maior aumento no período foi do 4G, com adição de 4,22 milhões de linhas (5,54%); e de 40,85 milhões de novas linhas (102,91%) em 12 meses.

Banda larga registra 163,39 mil novos usuários no Brasil

Publicado em

O serviço de internet banda larga fixa alcançou 27,46 milhões de assinantes no fim do mês de maio de 2017, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgados esta semana, e registrou aumento de 163,39 mil clientes (0,6%) na comparação com o mês anterior.

Banda larga registra 163,39 mil novos usuários no Brasil
Banda larga registra 163,39 mil novos usuários no Brasil

Nos últimos 12 meses, foram adicionados à rede 1,41 milhão de clientes (crescimento de 5,45%).

Crescimento nos Estados

Nos Estados, entre abril e maio de 2017, a base de assinantes de Minas Gerais aumentou 1,55%, com 41,4 mil novos clientes; no Ceará, a elevação foi de 32,19 mil (5,12%); e, no Rio Grande do Norte, 27,77 mil (9,91%).

Nos últimos 12 meses, houve aumento de usuários em todos os Estados. Os maiores percentuais foram registrados nos Estados de São Paulo, com 248,01 mil novos clientes (2,63%); Minas Gerais, com 207,82 mil (8,28%); e Rio Grande do Sul, com 135,23 mil (8,56%).

Alta da banda larga nas operadoras

A prestadora Vivo liderou o crescimento no período com 28,07 mil novos assinantes (0,37%). A TIM apresentou elevação de 10,21 mil (2,96%); seguida pela Sky, com 6,06 mil assinantes (1,77%).

Na comparação com abril de 2016, a Vivo teve um aumento de 1,89% na sua base de assinantes, com mais 140,43 mil novos assinantes. A TIM registrou 57,13 mil novos clientes (19,15%); e a operadora Claro teve mais de 332,36 mil novos assinantes (4,03%).

Desidratação é um risco em qualquer estação do ano; saiba quais os sinais de alerta

Publicado em

Quando se fala em hidratação, boa parte das pessoas logo pensa em verão, sol e calor. Só que não: no inverno e outono, épocas mais frias do ano, é mais fácil se esquecer de ingerir líquidos e chegar a um quadro de desidratação. Por isso, a hidratação vai além da estação do ano, como explica a nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão de São Paulo, Cintya Bassi.

Nosso organismo é composto por cerca de 70% de água e a perdemos, naturalmente, por meio da transpiração, da urina, das fezes e até da respiração, precisando a repor sempre. A falta de ingestão de água e isotônicos naturais podem levar à desidratação grave, causando tontura, desmaios, confusão mental e até o comprometimento no transporte de vitaminas e minerais no organismo

Desidratação é um risco em qualquer estação do ano
Desidratação é um risco em qualquer estação do ano

Diariamente, o organismo humano necessita de, aproximadamente, um litro a cada 35 kgs, variando conforme o clima do dia e idade da pessoa. A ingestão de líquido no decorrer do dia é imprescindível, tanto por meio de alimentos, quanto de bebidas.

Melhora até mesmo a aparência da pele, diminuindo a ocorrência de celulites e rugas, sem contar que beneficiam as fibras de colágeno que sustentam a pele e precisam de água para se renovarem. Os alimentos que mais contém água são legumes, frutas, leite e carnes. Porém, essa não deve ser a única forma de hidratação, também devendo ingeri-la em sua forma pura, sucos e água de coco

Uma dúvida que as pessoas costumam ter é se a água com gás também é considerada saudável: a profissional explica que, assim como a mineral, a com gás é uma importante aliada à hidratação.

A diferença entre as duas é o fato da água com gás ter adição de dióxido de carbono, o qual se consumido em grandes quantidades pode causar irritação gástrica

E mesmo quando estamos sem sede, é aconselhável beber água.

Em condições normais, a sede é um bom lembrete da necessidade de bebê-la. Porém, em situações especiais, como transpiração excessiva ou clima quente, a sensação de sede pode não acompanhar a necessidade

Desidratação e seus riscos

Quando a ingestão de água é insuficiente, o organismo pode apresentar sintomas de desidratação, como boca e pele seca, olhos fundos, cansaço, dor de cabeça, tontura, entre outros. Em casos graves, pode até evoluir para queda de pressão arterial, perda de consciência, convulsão, coma, falência dos órgãos e morte.

O organismo não é capaz de armazenar água, por isso a quantidade de líquido no corpo precisa ser constantemente reposta. Lembrando que, depois do oxigênio, a falta de água é o que mais afeta o organismo, que só suporta ficar sem água até, no máximo, dois ou três dias

Segundo Cintya Bassi, a água só é limitada em caso de hiponatremia – nível baixo de sódio no sangue, o qual é diluído ainda mais na presença de água em excesso – insuficiência renal ou cardíaca. Também durante as refeições o ideal é ingerir pouco líquido, pois, se consumirmos mais de um copo, pode dilatar o estômago.

Mortes por infarto podem aumentar até 30% no inverno

Publicado em

No inverno, é comum ver a maioria das pessoas se preocupando e tomando todos os cuidados contra gripes e resfriados, mas esse pode não ser o grande vilão desta época do ano: em estudo publicado pelo Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas de São Paulo, foi identificado que, em mais de 5 mil casos de mortes por infarto agudo do miocárdio, 30% foi maior nos meses de inverno – ou até 44% maior, se considerados apenas os pacientes com mais de 75 anos de idade.

Índice de mortalidade por infarto pode aumentar até 30% no inverno; especialista explica quais sintomas mais comuns e como se prevenir
Índice de mortalidade por infarto pode aumentar até 30% no inverno; especialista explica quais sintomas mais comuns e como se prevenir

Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), estudando quase 200 mil internações por insuficiência cardíaca congestiva no município de São Paulo, observaram que o pico de ocorrências está nos meses de junho, julho e agosto – sendo 20% superior às hospitalizações no auge do verão.

Para diminuir os altos índices de mortes por infarto, é de extrema importância que, ao notar os primeiros sintomas, o paciente procure um pronto-socorro para atendimento imediato por profissionais capacitados.

Segundo Luiz Velloso, cardiologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, os riscos de problemas cardiovasculares aumentam no inverno porque, com a queda da temperatura, diversos hormônios que atuam sobre o sistema circulatório podem apresentar aumento de atividade pela simples exposição do corpo ao frio intenso.

O resultado dessas alterações metabólicas é a contração das artérias, que leva ao aumento da pressão arterial e da frequência e intensidade das contrações cardíacas, sobrecarregando ainda mais o coração e o aparelho circulatório

Ao contrário do que a maioria das pessoas acredita, o infarto agudo do miocárdio pode se apresentar com manifestações clínicas consideravelmente diferentes do quadro clássico que todos conhecem, como dor intensa na face anterior do tórax e braços, náuseas, suor frio e dificuldade para respirar.

Muitos quadros apresentam sintomas distintos e, por este motivo, a atitude mais prudente é que todo paciente com desconforto ou dor no tórax de início súbito e sem causa evidente, seja levado imediatamente ao pronto-socorro e examinado como um potencial portador de infarto, até que este diagnóstico seja descartado – mediante avaliação do médico socorrista, que analisará um eletrocardiograma e até exames laboratoriais.

O cardiologista explica que procurar o pronto-socorro assim que identificar os primeiros sintomas pode ser decisivo para o quadro.

O infarto é causado pela obstrução aguda de uma das artérias coronárias, ou seja, o paciente sente dor no tórax enquanto o músculo de seu coração vai necrosando progressivamente. A perda de grandes quantidades desse músculo pode ser fatal, ou ter consequências dramáticas sobre a qualidade de vida do indivíduo. Quanto mais precoce o início do atendimento médico, maior a massa de músculo de seu coração que pode ser salva da necrose. Daí a importância do atendimento o mais rápido possível

No pronto-socorro, uma vez identificado o infarto agudo do miocárdio, a prioridade passa a ser a desobstrução imediata da artéria coronária que está causando todo o problema.

Na Rede de Hospitais São Camilo, o tratamento é realizado mediante um cateterismo cardíaco de emergência, que permite visualizar a artéria e desobstruí-la com rapidez e segurança, no procedimento chamado de angioplastia primária. Segundo Velloso, a triagem dos pacientes pré-atendimento médico é feita por enfermeiros capacitados por um rigoroso protocolo de atendimento à dor torácica, que traz segurança e bons resultados aos casos de infarto. “Os socorristas (…) são treinados para diagnosticar e iniciar o tratamento do infarto de imediato, antes mesmo da avaliação por um especialista em cardiologia, evitando perda de tempo em uma situação em que cada minuto é precioso”, finaliza.

Lixo matou mais de mil tartarugas no litoral de São Paulo

Publicado em

Entre 2016 e 2017, mais de mil tartarugas foram encontradas mortas por ingestão de lixo no litoral norte de São Paulo. Do total de casos registrados no litoral de São Paulo, 300 foram somente no primeiro semestre de 2017. Os dados do Instituto Argonauta, uma organização não governamental voltada a pesquisas e conservação marinha, sediada em Ubatuba.

Lixo já matou mais de mil tartarugas no litoral norte de São Paulo, entre 2016 e 2017
Lixo já matou mais de mil tartarugas no litoral norte de São Paulo, entre 2016 e 2017

O caso mais recente é de uma tartaruga capturada morta em uma praia de Caraguatatuba, por ter ingerido uma grande quantidade de pedaços de bexiga (balão de festa). O material é confundido pelos animais, como explica o biólogo João Alberto Paschoa do Santos, integrante do Conselho Regional de Biologia da 1ª Região (CRBio-01).

Provavelmente, essa tartaruga se alimentou da bexiga por confundi-la com a água-viva, que é seu alimento natural. O plástico, infelizmente, é também outro tipo de material muito comum nos oceanos e que deixa as tartarugas igualmente confusas, e por isso é uma das principais causas de morte entre elas

Por ano, estima-se que até oito milhões de toneladas de plástico são despejados no mar em todo o mundo.

Oito milhões de toneladas de plástico são despejados no mar por ano, em todo o mundo
Oito milhões de toneladas de plástico são despejados no mar por ano, em todo o mundo

Se levarmos em conta que o tempo de decomposição do plástico é de aproximadamente 400 anos, com essa poluição se repetindo a cada ano, o homem está causando um estrago praticamente irreversível ao meio ambiente. Se não pararmos já com isso, vamos liquidar de vez com a vida marinha

Recipientes de vidro podem ter decomposição de mais de mil anos
Recipientes de vidro podem ter decomposição de mais de mil anos

Além do plástico, outros tipos de lixo também oferecem riscos à vida nos oceanos.

Confira os principais vilões do mar e o tempo de decomposição de cada um deles:

Papel: de três a seis meses;
Tecido: de seis meses a um ano;
Filtro de cigarro: mais de cinco anos;
Madeira pintada: mais de 13 anos;
Nylon (linha de pesca, por exemplo): mais de 20 anos;
Alumínio (lata de refrigerante, por exemplo): mais de 200 anos;
Plástico (garrafas pet, por exemplo): mais de 400 anos;
Vidro (vasilhames, por exemplo): mais de mil anos;
Borracha (pneus, por exemplo): tempo indeterminado.

Estilista Camila Chain, da Maison Kas, participa da Casar Bem Noivas & Festas 2017

Publicado em

A estilista Camila Chain, da Maison Kas – famoso ateliê de vestidos de noiva de São Paulo –, já está em São Luís para participar da Casar Bem Noivas & Festas 2017, evento idealizado por Rafaela Albuquerque e Isabela Murad, e que está em sua oitava edição. A Casar Bem ocorre nos dias 10 e 11 de junho, no Hotel Pestana, bairro do Calhau.

Estilista Camila Chain, da Maison Kas, participa da Casar Bem Noivas & Festas 2017
Estilista Camila Chain, da Maison Kas, participa da Casar Bem Noivas & Festas 2017

Uma das atrações bastante aguardadas pelo público que for ao evento é o desfile da estilista Camila Chain. Sob o comando da estilista paulistana, a Maison Kas elabora vestidos de noiva exclusivos e com muita personalidade.

Em seu charmoso ateliê no bairro do Pacaembu, as clientes são atendidas pessoalmente pela profissional, que trouxe para o negócio toda a sólida experiência com o mercado de moda que teve no Brasil e no exterior. Camila morou em Nova York, e trabalhou como gerente de marketing e estilo na Carlos Miele.

Todos os vestidos são feitos sob medida, com mão de obra altamente especializada na área e acabamento impecável.

Na Casar Bem, Camila pretende mostrar vestidos de noivas de sua mais nova coleção em um desfile que será realizado, com exclusividade, dentro da programação do evento.

Como se proteger da gripe e de resfriados?

Publicado em

A mudança repentina de temperatura torna cada vez maior as incidências de gripes e resfriados no Brasil. Mas qual é a diferença entre os dois? Como se proteger da gripe e de resfriados? O que fazer quando somos atingidos por elas?

Existe diferença entre gripe e resfriado? Médico explica
Existe diferença entre gripe e resfriado? Médico explica

Em artigo compartilhado com o Blog do Maurício Araya, o coordenador do Pronto-Socorro Adulto do Hospital San Paolo, situado na zona norte de São Paulo, doutor Nael Hwas, explica as diferenças e dá orientações interessantes:

Ultimamente é muito comum ouvir que “o clima está uma loucura”. De fato, as estações parecem estar cada vez mais “indefinidas”, e a mudança brusca de temperatura tem sido comum. Isso, somado a outros diversos fatores, favorece o aparecimento de gripes e resfriados com mais frequência. Mas você sabe identificar quando está resfriado ou gripado?

A maioria das pessoas não conhece a diferença entre os dois. O resfriado comum é uma infecção viral e traz sintomas mais leves como congestão nasal, coriza clara e espirros. A gripe também é uma infecção viral; mas nesse caso já surgem a febre alta, cefaleia (dores de cabeça), dores no corpo, mal-estar, tosse seca, dor de garganta e coriza. Geralmente, dura entre sete e 10 dias e também pode desencadear complicações como sinusite bacteriana, otite média e pneumonia.

O profissional de saúde consegue saber se é um resfriado simples ou uma gripe avaliando o histórico clínico do paciente e realizando o exame físico. Assim, é possível fornecer um diagnóstico preciso.

Os resfriados podem ser prevenidos com medidas simples e que vão muito além do consumo de vitamina C. Boa alimentação, hidratação e higiene nasal também podem ajudar. A gripe, por sua vez, pode ser prevenida por meio da vacina anual. É importante estar sempre atento às campanhas nacionais de vacinação e seus prazos.

Não podemos esquecer, também, de proteger as crianças. A partir dos seis meses de vida a vacinação já pode ser aplicada; e, quando houver suspeita de qualquer complicação respiratória, é imprescindível levar a criança para uma consulta médica. O mesmo vale para os adultos, que têm o hábito de se automedicar. O ideal é buscar orientação especializada.