Interface do Galaxy S8 e S8+ apresenta recursos exclusivos

Publicado em

Os modelos Galaxy S8 e Galaxy S8+ chegaram ao mercado cheio de novidades, entre elas o display infinito – que proporciona uma experiência visual incrivelmente imersiva – e um novo software com diversas inovações. Agora, segundo a fabricante Samsung, ela está mais leve, moderna, simples e possibilita customização, pensada para facilitar o dia a dia do usuário.

Display infinito é um dos grandes diferenciais do Galaxy S8 e S8+
Display infinito é um dos grandes diferenciais do Galaxy S8 e S8+

De acordo com a fabricante, design e software unificam os componentes visuais e de áudio, estabelecendo uma experiência contínua e intuitiva, permitindo a personalização do aparelho de acordo com a necessidade de cada usuário.

Um desses recursos está na câmera, onde o usuário, agora, pode aumentar e diminuir o zoom deslizando o botão do obturador, como já acontece com o recurso em algumas redes sociais.

Sem dúvida, um dos grandes diferenciais dos modelos é a tela de borda infinita. Segundo explica a fabricante, foi adicionado um novo recurso que ilumina as bordas do aparelho quando o usuário recebe uma notificação e criada uma função de pré-visualização de notificações, minimizando distrações da tela durante um filme ou jogo, por exemplo.

Outra novidade, de acordo com a fabricante, é a adição do recurso FaceWidgets, o que torna possível controlar rapidamente a reprodução de música, visualizar agenda de compromissos e verificar os próximos alarmes ao tocar duas vezes no relógio da tela.

Os preços sugeridos, no entanto, são bem salgados: R$ 3,99 mil para o Galaxy S8 e R$ 4,39 mil para o Galaxy S8+. O Blog do Maurício Araya, por exemplo, vai ficar só babando… 😀

Smartphones intermediários lideram ranking de mais buscados

Publicado em

Um levantamento do site e aplicativo comparador de preços e produtos Zoom mostra que a Samsung segue como líder no ranking de smartphones intermediários mais buscados em maio de 2017. O Samsung Galaxy J7 Prime 32GB SM-G610M se mantém na primeira posição desde fevereiro de 2017. No entanto, o modelo vem diminuindo de preço e, este mês, apresentou uma variação de 65%, custando entre R$ 1.029 e R$ 1.699.

Aparelhos robustos dão espaço aos smartphones intermediários, pela quantidade de opções que oferecem
Aparelhos robustos dão espaço aos smartphones intermediários, pela quantidade de opções que oferecem

O que atrai consumidores aos smartphones intermediários é a maior variedade de características, encontrada principalmente entre as marcas Samsung e Motorola, como analisa o especialista de produtos do Zoom, Paulo Guedes.

Mesmo com a aparente desaceleração do mercado, os smartphones tiveram as vendas mundiais aumentadas em 4,3% nos primeiros três meses do ano, superando a previsão inicial de 3,6%, de acordo com dados do IDC. Os aparelhos da Samsung, assim como os modelos da Motorola possuem uma maior gama de opções, com diferentes características para alcançar vários perfis de consumidor, e, assim são mais procurados e também apresentam maiores variações de preços

As novidades no ranking ficam por conta da entrada do Samsung Galaxy J7 2016 Metal 16GB J710, já como quarto mais buscado e apresentando variação de preço de 112%, com aparelhos que custam de R$ 789,90 a R$ 1.676,31. Outro estreante é o Samsung Galaxy A5 2017 32GB A520F, que fica em oitavo lugar.

Saíram da lista o Asus Zenfone 3 64GB ZE552KL, que já estava em 10º no levantamento de abril, e o Smartphone LG X Power 16GB K220. Além disso, o Motorola Moto G G4 Plus 32GB XT1640, que já havia caído da terceira para a sexta posição, segue em queda e, agora, aparece como o último da lista.

A maior variação do ranking de maio ficou por conta do Motorola Moto G G4 Play DTV Colors 16GB XT1603, que subiu da sétima para a quinta posição, e apresenta oscilação de 225%, com valores entre R$ 615,12 e R$ 2 mil.

Empresas mais reclamadas no Maranhão: oito de 10 se mantêm no ranking

Publicado em

Na ‘semana do consumidor’, o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-MA) divulgou o ranking das 10 empresas mais reclamadas no Maranhão, relativo a 2016. Apesar de um número menor de reclamações comparado ao ano anterior, oito delas se mantiveram no ‘top 10’ do Procon-MA. Duas – Oi Fixo e a Oi Móvel – encabeçam a lista pelo terceiro ano consecutivo.

Segundo o Procon-MA, do total de 56,6 mil reclamações formalizadas no período – contra operadoras de telefonia móvel, fixa e de TV por assinatura; além de empresas de crédito, tecnologia e prestadoras de serviços –, 98% tiveram solução após mediação do instituto.

A divulgação dos números de empresas mais reclamadas no Maranhão ocorreu durante a terceira edição da Semana Estadual de Prevenção e Combate ao Superendividamento.

Aparecem na lista as seguintes empresas: Oi Fixo (com 223 reclamações), Oi Móvel (194), Companhia Energética do Maranhão (Cemar, 158), SKY (84), Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema, 83), Caixa Econômica Federal (60), Bradescard (50), Samsung (48), Claro Móvel (47) e Claro Fixo e TV (41).

Divulgação ocorreu na Semana Estadual de Prevenção e Combate ao Superendividamento
Divulgação ocorreu na Semana Estadual de Prevenção e Combate ao Superendividamento (Foto: Procon-MA/Divulgação)

Em 2015, de acordo com dados do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), o ranking era formado pelas seguintes empresas: Oi Fixo (392 reclamações), Oi Móvel (297), Caema (135), CCE (107), Cemar (93), SKY (81), Bradescard (57), Caixa Econômica Federal (51), Claro Móvel (41) e TIM (40) – veja o comparativo entre 2016 e 2015 abaixo.

No ano passado, Samsung e Claro Fixo e TV passaram a integrar a lista, enquanto CCE e TIM saíram do ranking.

Empresas mais reclamadas no Maranhão são termômetro para trabalho do Procon-MA

Vamos continuar realizando ações preventivas, de orientação e fiscalização, para assegurar o pleno respeito aos direitos dos consumidores
Duarte Júnior, presidente do Procon-MA

Por meio de um programa de intensas fiscalizações, sanções e cobranças junto aos fornecedores, o Procon-MA reduziu em 61% o número de reclamações fundamentadas e não atendidas pelos consumidores (1,06 mil reclamações). Desde 2015, o número vem caindo cada vez mais, fazendo com que o percentual de solução de conflitos subisse de 93%, em 2015, para 98%, em 2016.

O presidente do instituto, Duarte Júnior, ressalta que o trabalho do Procon-MA tem garantido ‘os melhores indicadores de solução de conflitos, harmonizando as relações de consumo por meio da absoluta defesa do direito do consumidor’, o que tem levado a alguns fornecedores a melhorar seus serviços, mas reconhece que é necessário avançar em outros setores, como o de telecomunicações e serviços bancários e de crédito.

Para o órgão, além de servir como um termômetro do trabalho, o ranking das mais reclamadas e o índice de solução de conflitos servem para fazer que o consumidor compreenda e compare quais as empresas buscam melhorar seus serviços e quais permanecem com falhas.