Telefonia móvel no Brasil registra queda de 2,35 mil linhas

Publicado em

Em junho de 2017, o setor de telefonia móvel no Brasil registrou uma ligeira queda, com 2,35 mil linhas comparado a maio. No mês, o país alcançou 242,11 milhões de linhas móveis em operação. Já nos últimos 12 meses, a redução foi de 11,29 milhões de linhas móveis (-4,46%). Os dados foram divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) esta semana.

Em 12 meses, redução foi de 11,29 milhões de linhas na telefonia móvel
Em 12 meses, redução foi de 11,29 milhões de linhas na telefonia móvel

Os Estados que apresentaram maior queda no número de linhas móveis foram Rio Grande do Sul, com 42,02 mil linhas móveis (-0,3%); Pará, com 25,64 mil (-0,34%); e Bahia, com redução de 17,10 mil linhas (-0,11%).

Já os Estados com maior crescimento no número de linhas foram São Paulo, com aumento de 125,81 mil (0,2%); seguido por Pernambuco, com 11,31 mil novas linhas (0,11%); e Ceará, com 10,09 mil novas linhas (0,11).

Nos últimos 12 meses, todos os Estados apresentaram queda no número de linhas móveis.

Entre as tecnologias, o maior aumento no período foi do 4G, com adição de 4,22 milhões de linhas (5,54%); e de 40,85 milhões de novas linhas (102,91%) em 12 meses.

Anatel registra queda de 217,03 mil linhas na telefonia móvel em todo o Brasil

Publicado em

No mês de maio de 2017, a telefonia móvel no Brasil registrou queda de 217,03 mil linhas (-0,09%) comparado ao mês anterior (abril), segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgados esta semana. No período, o setor alcançou 242,11 mil linhas móveis em operação. Nos últimos 12 meses, a redução foi de 13,11 milhões de linhas móveis (-5,14%).

Anatel registra queda de 217,03 mil linhas na telefonia móvel em todo o Brasil
Anatel registra queda de 217,03 mil linhas na telefonia móvel em todo o Brasil

Por Estado, os que apresentaram maior queda no número de linhas móveis em maio, quando comparado ao mês anterior, foram Rio Grande do Sul, com 76,89 mil (-0,54%); Ceará, com 48,22 mil (-0,5%); e Alagoas, com redução de 15,92 mil linhas (-0,48%).

Já os Estados com maior crescimento no número de linhas foram Mato Grosso, com aumento de 16,99 mil (0,42%); seguido por Tocantins, com 6,16 mil (0,35%); e Rondônia, com 5,46 mil novas linhas (0,27%).

Nos últimos 12 meses, todos os Estados apresentaram queda no número de linhas móveis, segundo a Anatel.

No Maranhão, a variação entre abril e maio de 2017 foi de -14,47 mil linhas móveis (-0,25%). No período, o número de linhas em operação chegou a 5,72 milhões. Em 12 meses, a queda no número de linhas móveis foi de 368,98 mil (-6,05%).

TV por assinatura tem redução de 171,23 mil assinantes em todo o Brasil

Publicado em

O setor de TV por assinatura registrou queda de 0,9% em abril de 2017, na comparação com o mês anterior, com a diminuição de 171,2 mil assinantes, segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) esta semana. No mês, a base total de assinantes chegou a 18,76 milhões.

TV por assinatura tem redução de 171,23 mil assinantes em todo o Brasil
TV por assinatura tem redução de 171,23 mil assinantes em todo o Brasil

Nos últimos 12 meses, a redução foi de 147,47 mil assinantes (-0,78%), de acordo com a Anatel.

Todos os Estados brasileiros apresentaram, entre março e abril de 2017, redução no número de assinantes de TV por assinatura. No entanto, na comparação entre abril deste ano e abril de 2016, Piauí, com 9,66%, Maranhão, com 7,32% e Rio Grande do Norte, com 6,26% lideraram o crescimento.

Grupos econômicos e tecnologias

Dos grupos econômicos acompanhados pela Anatel, a Oi apresentou a maior crescimento de março a abril e nos últimos 12 meses, 1,63% e 15,78% respectivamente. Claro/NET e Vivo apresentaram redução em ambos os períodos.

Quanto às tecnologias, entre março e abril de 2017, a fibra ótica apresentou crescimento de 0,14%. Todas as outras tecnologias apresentaram redução. No entanto, em 12 meses a fibra ótica registrou crescimento de 20,6% e o número de usuários receptores de satélites se manteve praticamente estável (0,19%).

Telefonia móvel: Brasil tem queda de 14,09 milhões de linhas

Publicado em

Em abril de 2017, o setor de telefonia móvel no Brasil registrou queda de 14,09 milhões de linhas (-5,5%) comparado a igual período de 2016, segundo dados publicados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) esta semana.

Em abril, telefonia móvel registrou queda no número de linhas em todos os Estados brasileiros
Em abril, telefonia móvel registrou queda no número de linhas em todos os Estados brasileiros

No mês, todos os Estados apresentaram queda no número de linhas móveis. Os Estados com maiores quedas foram Pernambuco, com redução de 1,21 milhão de linhas (-10,37%), seguido por Ceará, com diminuição de 1,1 milhão de linhas (-10,3%) e Alagoas, com menos 376,41 mil linhas (-10,23%).

No Maranhão, a variação em 12 meses foi de -5,36%, quando o Estado registrou a perda de 325,34 mil linhas móveis, chegando a 5,74 milhões em abril. Entre março e abril de 2017, a queda foi de 7,78 mil linhas (-0,14%).

Banda larga no país registra 27,29 milhões de assinantes

A Anatel divulgou ainda os números da banda larga fixa, que recebeu 73,43 mil novos assinantes (aumento de 0,27%) em abril, se comparado a março de 2017. O número de usuários do serviço ficou em 27,29 milhões. Nos últimos 12 meses, os resultados também são positivos: 1,39 milhão de novos clientes (5,36%).

Número de usuários da banda larga no Brasil alcançou 27,29 milhões
Número de usuários da banda larga no Brasil alcançou 27,29 milhões

De março para abril de 2017, os maiores crescimentos percentuais registrados foram no Ceará, com 14,21 mil novos clientes (2,31%); no Pará, com 6,9 mil (2,23%); e no Maranhão, com 4,19 mil (1,87%).

Nos últimos 12 meses, todos os Estados apresentaram crescimento. Os maiores percentuais foram registrados no Amapá, com 6,81 mil usuários (13,35%); Maranhão, com 26,26 mil (13,03%); e Rondônia, com 14,64 mil (10,93%).

TV por assinatura registra queda de 337,7 mil usuários em 12 meses

Publicado em

O setor de TV por assinatura no Brasil registrou, em 12 meses, queda de 337,70 mil assinantes, variação negativa de 1,78%. Os dados são referentes a março de 2016 e março de 2017, e foram divulgados esta semana pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Em março de 2017, a base de assinantes chegou a 18,61 milhões, 9,98 mil assinantes a menos em comparação com fevereiro de 2017, queda de 0,05%.

Na contramão da crise, Piauí, Maranhão e Pará lideraram crescimento do setor de TV por assinatura em 12 meses
Na contramão da crise, Piauí, Maranhão e Pará lideraram crescimento do setor de TV por assinatura em 12 meses

Entre os Estados brasileiros, Pernambuco foi o que liderou a redução percentual de assinantes em 12 meses, com 7,42% a menos; seguido de Goiás (-6,18%) e Rondônia (-5,4%).

Entre os Estados que lideraram o crescimento da TV por assinatura em 12 meses, estão o Piauí, com 9,13% de assinantes a mais; Maranhão, com 6,62% – onde a base de assinantes subiu de 162,13 mil para 172,86 mil –; e Pará (3,31%).

Entre fevereiro e março de 2017, Rio Grande do Norte liderou a redução percentual nos números de usuários de TV por assinatura (-5,71%); seguido por Sergipe, com redução de 2,55%; e Tocantins (-1,42%).

TV por assinatura registra queda de 105,42 mil assinantes em todo o Brasil

Publicado em

O mercado de TV por assinatura sentiu o peso da crise econômica no Brasil e registrou queda de 105,42 mil assinantes em todo o Brasil, entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017. Os números são da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

No período, somente dois grupos econômicos apresentaram crescimento na base de assinantes. Todos os outros registraram queda. Entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017, os grupos que trabalham com fibra ótica foram os únicos que registraram crescimento de 0,22%. Em 12 meses, a tecnologia teve alta de 27,35%, com 47,59 mil novos assinantes.

Também entre dezembro e janeiro, o Ceará liderou a redução percentual nos números de usuários de TV por assinatura, com 1,73% de assinantes a menos, seguido pelo Amazonas (-1,62%) e Amapá (-1,54%).

Piauí e Maranhão registraram alta, de 0,19% e 0,06% respectivamente.

Em 12 meses, TV por assinatura perdeu 364,45 mil usuários

Em 12 meses, a base de assinantes em todo o país caiu de 19,05 milhões para 18,69 milhões, 364,45 mil assinantes a menos, diminuição correspondente a 1,91%.

No período, Pernambuco liderou a redução percentual de assinantes em todo o país, com 8,02% de usuários a menos, seguido de Rondônia (-7,98%) e Amapá (-7,58%).

Lideram o crescimento da TV por assinatura em todo o país Piauí, com 7,47%; Sergipe, com 4,26%; e Maranhão, com 4,08% de novos assinantes.