Praias de São Luís: 11 pontos voltam a ter condições próprias para banho

Publicado em

Após 11 semanas, a orla da Região Metropolitana de São Luís voltou a ter pontos com condições próprias para banho. Ao todo, 11 pontos de seis praias de São Luís e da vizinha São José de Ribamar passaram a apresentar condições adequadas para banho.

Após 11 semanas, praias de São Luís e São José de Ribamar voltaram a ter pontos com condições próprias para banho
Após 11 semanas, praias de São Luís e São José de Ribamar voltaram a ter pontos com condições próprias para banho

É o que mostra a mais recente nota técnica sobre monitoramento das condições de balneabilidade da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) do Maranhão, publicada essa quarta-feira (7). O documento é resultante de laudos emitidos pelo Laboratório de Análises Ambientais (LAA), da própria secretaria, e que leva em consideração os padrões fixados na resolução Conama nº 274/00.

O monitoramento foi realizado, segundo a Sema, entre 7 de maio e 4 de junho de 2017. Desde 21 de março de 2017, o número de pontos impróprios superava o de pontos próprios, segundo a apuração do Blog do Maurício Arayaveja a evolução semana a semana.

Dos 21 pontos monitorados nas praias da Ponta d’Areia, de São Marcos, do Calhau, do Olho-d’Água, do Meio e do Araçagi, 11 alcançaram padrões de condições próprias para banho.

São eles: em frente a Praça de Apoio ao Banhista; em frente aos bares do Chef e Marlene’s; em frente a barraca da Marcela; em frente ao Agrupamento Batalhão do Mar; em frente a Pousada Tambaú; em frente ao bar Malibu; à direita da Elevatória Pimenta I; em frente ao bar do Capiau; em frente ao bar da Praia; em frente ao Fátima’s Bar; e em frente ao bar do Isaac – veja em mapa interativo.

A Sema não divulgou que ações levaram à melhoria das condições de banho das praias de São Luís.

Quase todas das praias seguem impróprias para banho em São Luís

Publicado em

Quase todas das praias seguem impróprias para banho na orla da Região Metropolitana de São Luís, e parece que a balneabilidade deixou de ser prioridade para o governo do Maranhão, ainda que para a publicidade oficial. Por três semanas consecutivas, o cenário é o mesmo: 20 pontos impróprios contra apenas um em condições adequadas para banho – na praia do Calhau, trecho à direita da elevatória II da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema).

Quase 100% das praias seguem impróprias para banho em São Luís
Quase 100% das praias seguem impróprias para banho em São Luís (Foto: Gilson Teixeira/Secap/Governo do Maranhão/Arquivo)

A nota técnica mais recente foi publicada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) nesta quinta-feira (18). O documento, elaborado a parir de laudos laboratoriais emitidos pelo Laboratório de Análises Ambientais (LAA), é referente ao monitoramento realizado no período de 16 de abril e 14 de maio de 2017.

Há nove semanas, o número de pontos impróprios superou o de própriosveja a evolução no gráfico acima – e, desde então, se mantém sem que haja ações para reverter o quadro.

O mapa interativo das condições de banho das praias em 21 pontos distribuídos nas praias da Região Metropolitana de São Luís você encontra, sempre atualizado no Blog do Maurício Araya.

O monitoramento da balneabilidade nos 21 pontos da orla – Ponta d’Areia, São Marcos, Calhau, Olho-d’Água, Praia do Meio e Araçagi – obedece a padrões fixados na Resolução Conama nº 274/00.

As águas das praias são consideradas próprias, quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras, obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, e colhidas no mesmo local, houver no máximo 100 Enterococos/100 mL.

Já as águas das praias são consideradas impróprias quando não atenderem aos critérios anteriores ou quando o valor obtido na última amostragem for superior a 400 Enterococos/100 mL.

Praias de São Luís têm 100% de pontos impróprios para banho

Publicado em

Provavelmente, pouca gente percebeu. Quem foi às praias de São Luís e São José de Ribamar não foi informado por jornais, rádios ou televisão da grave ameaça à saúde pública a qual estava exposto. Nesse fim de semana, 21 dos 21 pontos – isso mesmo, 100% – em que há monitoramento da qualidade das águas se mostraram impróprios para banho.

Praias de São Luís têm 100% dos pontos impróprios para banho
Praias de São Luís têm 100% dos pontos impróprios para banho (Foto: Divulgação/Secap/Arquivo)

O resultado está na nota técnica sobre o monitoramento das condições de balneabilidade das praias mais recente do Laboratório de Análises Ambientais (LAA), ligado à Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema). Para o laudo, do dia 30 de março de 2017 e divulgado no dia seguinte, foram considerados os resultados das amostras entre 26 de fevereiro e 26 de março de 2017.

Laudo mostra 100% dos pontos impróprios para banho

O monitoramento, esclarece o próprio documento, obedece aos padrões fixados na resolução Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) de nº 274/00.

São monitorados 21 pontos das praias de São Luís e São José de Ribamar, distribuídos nas praias da Ponta d’Areia, São Marcos, Calhau, Olho-d’Água, Praia do Meio e Araçagi.

Levantamento feito pelo Blog do Maurício Araya mostra que na última quinzena de março, o número de pontos impróprios para banho só cresceu, chegando a 100% no fim do mês.

Fiscalização nas praias de São Luís: realmente funciona?

Anteriormente, os baixos índices de contaminação das praias em São Luís foram atribuídos pela Sema ao programa Mais Saneamento, do governo do Maranhão, e ao trabalho de fiscalização regular de bares, restaurantes e condomínios próximos às praias.

No último dia 10 de março, o governador do Maranhão, Flávio Dino, comemorou o progresso do trabalho feito, agora ameaçado por novos índices de contaminação da orla.

Há quem pense que nós estamos dizendo que o trabalho está concluído. Não, nós dizemos exatamente o contrário. Todas as semanas o trabalho está em curso e em andamento e o que nós fazemos é anunciar os resultados já obtidos
Flávio Dino, governador do Maranhão

A meta do Mais Saneamento – que conta com orçamento de R$ 350 milhões para construção de Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs), de redes coletoras e estações elevatórias – quer aumentar de 4% para 70% o índice de esgoto tratado na capital maranhense até 2018.

Enquanto isso, só resta lamentar o ‘descuido’ com relação às praias da Região Metropolitana de São Luís.