Corrupção: brasileiros são a favor de regras firmes contra políticos corruptos

Publicado em

O que o Brasil mais precisa para superar a atual crise política? Esta é uma das questões que a pesquisa Pulso Brasil de julho de 2017, realizada pela Ipsos, abordou com 1,2 mil entrevistados em em 72 municípios brasileiros. No estudo, três soluções foram apresentadas aos brasileiros: colocar no poder líderes fortes para instituir a ordem, criar regras firmes contra políticos corruptos e aplicar efetivamente as regras já existentes contra corrupção. Comparando todas as ideias entrei si, para a ampla maioria dos brasileiros, a melhor opção é a criação de regras firmes contra políticos corruptos. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais.

Corrupção: brasileiros são a favor de regras firmes contra políticos corruptos
Corrupção: brasileiros são a favor de regras firmes contra políticos corruptos

Quando confrontando os líderes fortes versus as regras firmes, a porcentagem de favorabilidade de cada proposta é de 25% e 71%, respectivamente.

Já quando questionados se a melhor solução é a criação das regras ou a aplicação efetiva das normas já existentes, os índices de aceitação de cada uma são 67% e 28%, respectivamente.

Apesar das desavenças no apoio partidário, os brasileiros estão em consenso em torno de causas comuns: para 81% o problema do país é o sistema político – independente dos partidos políticos; 88% dos brasileiros afirmam que a população deveria se unir em torno das causas comuns e não brigar defendendo partidos específicos e 84% avaliam que discutir a favor dos partidos políticos só faz com que as pessoas não debatem os reais problemas do Brasil.

O levantamento também mostra que apesar da descrença sobre as mudanças políticas, a maioria (84%) acredita que é possível estabelecer um governo sem corrupção. E 52% não acham que a corrupção brasileira é culpa do povo que elegeu os políticos.

O voto obrigatório também foi questionado: 74% dos participantes são contra a medida. A maioria dos brasileiros (53%) acredita que com o voto sendo opcional a democracia seria fortalecida.

Além disso, o estudo levantou outros temas atuais. Para 86% dos entrevistados a democracia no Brasil não é respeitada. Já 50% consideram a democracia o melhor regime para o país, enquanto 47% avaliam que o tipo de democracia praticada no Brasil não é o melhor para a nação verde amarela.

País do futuro?

Os brasileiros ainda se mostram confiantes na riqueza inerente da nação e que esta riqueza iria emergir com o fim da corrupção. Para 90% dos participantes, o Brasil teria outro nível de desenvolvimento se não fosse os problemas relacionados à corrupção. 89% dos entrevistados também afirmam que o país tem riquezas suficientes para ser uma nação de primeiro mundo.

Congresso Nacional custa R$ 1,16 milhão por hora para o cidadão brasileiro

Publicado em

Cálculos da organização não governamental (ONG) Contas Abertas mostram que o Poder Legislativo no Brasil custa ao cidadão brasileiro R$ 1,16 milhão por hora, ao longo dos 365 dias do ano. Os custos do nosso Congresso Nacional incluem fins de semana, recessos e até as segundas e sextas-feiras, quando os políticos deixam a capital federal, Brasília, para fazer política em suas bases eleitorais.

Levantamento sobre custo do Congresso Nacional é da ONG Contas Abertas, e comprova: nossos políticos são os mais bem pagos da América Latina
Levantamento sobre custo do Congresso Nacional é da ONG Contas Abertas, e comprova: nossos políticos são os mais bem pagos da América Latina

Gil Castello Branco, presidente da ONG Contas Abertas, lembra que o cálculo leva em consideração não só o custo dos congressistas em si, mas de toda a máquina.

As pessoas ficam muito restritas a quanto custa um parlamentar em si, com todas as suas mordomias. Isso custa caro, sim. Mas o Congresso tem uma estrutura muito maior que isso que consome recursos públicos, dificultando ainda mais o equilíbrio no orçamento

Cada deputado federal, segundo o levantamento, recebe um salário bruto de R$ 33,7 mil, um valor superior ao do próprio presidente da República, Michel Temer – que, nas próximas semanas, vai ser seu destino definido pelo Congresso Nacional –, e seus ministros, que ganham R$ 30,9 mil mensais.

Nossos políticos, de acordo com diversos levantamentos de organizações e publicações estrangeiras, são os mais bem pagos da América Latina, seguidos por Chile, Colômbia e México.

Na soma, todos os benefícios indiretos que eles têm, como verba de gabinete, cota de passagens para seus destinos eleitorais e reembolso com despesas de saúde, e o valor aumenta para números estratosféricos: juntos, os 513 deputados custam, em média, R$ 86 milhões ao mês, custo anual de R$ 1 bilhão.

Quais são os assuntos mais procurados no Google?

Publicado em

O Google, certamente, é a página inicial do seu computador, tablet ou smartphone. Se não é, provavelmente é sua primeira janela para o mundo de informações disponíveis na internet. E há levantamentos que demonstram isso: o Google é a principal fonte de informação e conhecimento para os internautas, colocando de lado os jornais impressos e revistas, conforme a pesquisa sobre hábitos de consumo de 2017 da PayPal, em que foram ouvidos 300 jovens entre 18 e 36 anos de todos os Estados do Brasil. Mas você já se perguntou quais são os assuntos mais procurados no Google?

Google é principal fonte de informação para mais de 60% dos jovens brasileiros entre 18 e 36 anos, segundo pesquisa
Google é principal fonte de informação para mais de 60% dos jovens brasileiros entre 18 e 36 anos, segundo pesquisa

Com dados fornecidos pelo próprio buscador, o Blog do Maurício Araya lista os assuntos mais procurados no Google. Grande parte deles revelam os hábitos de consumo dos internautas.

As informações são referentes ao mês de junho de 2017, com termos mais pesquisados nos Estados Unidos, já que os resultados regionais só são divulgados por ano.

Algumas das categorias, no entanto, foram excluídas da lista por serem muito específicas do país.

Veja, abaixo, os termos mais procurados por segmento:

Alimentos
Properties of water (propriedades da água)
Chicken as food (frango como alimento)
Pizza
Cake (bolo)
Beer (cerveja)

Restaurantes fast-food
Pizza Hut
Domino’s Pizza
McDonald’s
Subway
Taco Bell

Animais
Dog (cão)
Cat (gato)
Horse (cavalo)
Fish (peixe)
Bird (pássaro)

Raças de cão
Labrador Retriever
Siberian Husky (husky siberiano)
Pit Bull
German Shepherd (pastor-alemão)
Chihuahua

Artistas
Beyoncé
Justin Bieber
Tupac Shakur
Rihanna
Drake

Artistas pop adolescentes
Beyoncé
Justin Bieber
Katy Perry
Selena Gomez
Taylor Swift

Automóveis
Ford Mustang
Chevrolet Camaro
Jeep Wrangler
Honda Civic
Honda Accord

Carros esportivos
Ford Mustang
Chevrolet Camaro
Chevrolet Corvette
Dodge Challenger
Dodge Charger (B-body)

Fabricantes de carros
Chevrolet
Toyota
Honda
Mercedes-Benz
Dodge

Cidades
New York City
Chicago
Las Vegas
Los Angeles
Washington, D.C.

Países e regiões
United States (Estados Unidos)
Mexico (México)
India (Índia)
Canada (Canadá)
United Kingdom (Reino Unido)

Empresas de varejo
Amazon.com
Walmart
The Home Depot
Target Corporation
Lowe’s

Marcas de moda
Fashion
Forever 21
H&M
American Eagle Outfitters
Gucci

Cientistas
Albert Einstein
Plato (Platão)
Thomas Jefferson
Stephen Hawking
Benjamin Franklin

Pessoas
Donald Trump
LeBron James
Walt Disney
James Comey
Beyoncé

Políticos
Donald Trump
James Comey
Barack Obama
Steve Scalise
Hillary Clinton

Livros
The Bible (Bíblia)
Thirteen Reasons Why (Os 13 Porquês)
Captain Underpants (Capitão Cueca)
Quran (Alcorão)
American Gods (Deuses Americanos)

Músicas
Happy Birthday to You (Parabéns pra você)
Let It Go
Hallelujah
Over the Rainbow
The Star-Spangled Banner

Filmes
The Mummy (A Múmia)
Moana
Cars 3 (Carros 3)
Beauty and the Beast (A Bela e a Fera)
Transformers

Programas de TV
Television program (programa de televisão)
Orange Is the New Black
Game of Thrones
The Bachelorette
SpongeBob SquarePants (Bob Esponja Calça Quadrada)

Programas de TV infantis
SpongeBob SquarePants (Bob Esponja Calça Quadrada)
Power Rangers
Steven Universe
PAW Patrol
Peppa Pig

Reality shows
The Bachelorette
America’s Got Talent
Big Brother
Bachelor in Paradise
Teen Mom

Jogos
Overwatch
Pokémon Go
Patience (Paciência)
Lego
Ark: Survival Evolved

Tecnologias de software
Android
Python
Java
HTML
JavaScript

Assuntos mais procurados no Google pelos brasileiros

Os dados mais recentes sobre termos mais procurados no Google pelos brasileiros são de 2016. E no topo da lista não poderiam faltar os assuntos que, de fato, marcaram o ano, como a febre do jogo Pokemon Go; os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro; as polêmicas do Big Brother Brasil; o acidente com o time de futebol da Chapecoense; e, como não poderia deixar de faltar, o futebol, com a tabela do Brasileirão.

Dados sobre assuntos mais procurados no Google são divulgados pelo próprio buscador
Dados sobre assuntos mais procurados no Google são divulgados pelo próprio buscador

Entre as personalidades de destaque, estiveram na lista: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; a apresentadora de TV Ana Hickmann; o presidente americano Donald Trump; a também apresentadora de TV Fernanda Gentil; os atores e atrizes Alexandre Borges, Leonardo DiCaprio, Paulo Zulu, Alan Rickman, Guilherme Karan, Camila Pitanga, Larissa Manoela, Monica Iozzi, Munik Nunes e Marion Cotillard.

Entre os filmes mais buscados, estão: Deadpool, Esquadrão Suicida, Batman vs Superman, Invocação do Mal 2 e Procurando Dory.

O que é…? Muita gente foi em busca do significado de algumas gírias e palavras no Google. Entre os termos mais procurados da categoria, estão: crush; amor; substantivo; logradouro; e filosofia.

E muitos brasileiros tentaram entender os porquês de alguns acontecimentos no Brasil e no mundo. No ranking de curiosidades de 2016, muitos brasileiros se perguntaram: por que Geraldo Luiz saiu da Record? Por que o Reino Unido quer sair da União Europeia? Por que Monica Iozzi vai sair do Vídeo Show? Por que o WhatsApp foi bloqueado? E por que o Estado Islâmico ataca a França?

96% dos brasileiros querem que Operação Lava-Jato investigue todos os partidos políticos

Publicado em

Pesquisa Pulso Brasil de junho de 2017, realizada pela Ipsos, revela que a Operação Lava-Jato ganha cada vez mais a adesão dos brasileiros: para 96% dos entrevistados, as investigações necessitam averiguar todos os partidos políticos e a mesma porcentagem acredita que a operação deve continuar até o fim, custe o que custar.

Entrevistados acreditam que operação deve continuar até o fim, custe o que custar
Entrevistados acreditam que operação deve continuar até o fim, custe o que custar (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Realizada entre os dias 1º e 13 de junho de 2017, a pesquisa Ipsos contou com 1,2 mil entrevistas presenciais em 72 municípios brasileiros. A margem de erro é de 3%.

O estudo assinala ainda que 87% concordam que a operação vai fortalecer a democracia, enquanto 79% acreditam que a Operação Lava-Jato pode ajudar a transformar o Brasil num país mais sério. Além disso, os brasileiros são a favor da operação mesmo que traga mais instabilidade política ou econômica para o país, com 95% e 94%, respectivamente.

Brasileiros acreditam que Operação Lava-Jato fortalece a democracia
Brasileiros acreditam que Operação Lava-Jato fortalece a democracia (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Operação Lava-Jato e o rumo do Brasil

O levantamento aponta que 95% dos entrevistados consideram que o Brasil está no rumo errado, mostrando um acréscimo de dois pontos percentuais em relação ao índice de maio (93%).

A avaliação do governo do presidente Michel Temer também teve uma piora de quatro pontos percentuais comparado ao mês anterior, pois 84% dos brasileiros classificam a gestão Temer como ruim e péssima.

Barômetro político

A pesquisa analisou a atuação de 32 personalidades públicas e políticos. No ranking ‘Barômetro político’, o presidente Michel Temer é o nome mais mal avaliado (93%), seguido por Eduardo Cunha (92%), Aécio Neves (91%) e Renan Calheiros (84%).

Se comparar os números da avaliação dos últimos três ex-presidentes do país, Dilma Rousseff totaliza 82% de rejeição versus 14% de aprovação. Fernando Henrique Cardoso soma 74% de desaprovação contra 12% de aprovação. Já, Luiz Inácio Lula da Silva possui 68% de reprovação e 28% de aprovação.

Considerando os políticos que já disputaram o segundo turno em um pleito presidencial, Aécio Neves é o tucano com maior taxa de rejeição com 91%, alta de 14 pontos percentuais sobre a edição anterior. O político mineiro é seguido por José Serra, com 79% – aumento de nove pontos em relação a maio – e por último, Geraldo Alckmin com 71%, o que representa sete pontos a mais comparado ao último mês.

Marina Silva, da Rede, que vinha numa constante queda do índice de rejeição, em junho, apresenta taxa de desaprovação de 62%.

Por outro lado, o juiz Sérgio Moro, o apresentador da TV Globo Luciano Huck e o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa são os nomes melhores avaliados com 63%, 44% e 42% de aceitação, respectivamente

Outras personalidades que foram avaliadas quanto ao índice de desaprovação e aprovação são: Rodrigo Maia (64% e 3%, respectivamente); Romero Jucá (64% e 1%, respectivamente); Romário (59% e 14%, respectivamente); Gilmar Mendes (58% e 4%, respectivamente); Henrique Meirelles (57% e 4%, respectivamente); Marcelo Crivella (56% e 9%, respectivamente); Ciro Gomes (55% e 12%, respectivamente); Jair Bolsonaro (54% e 15%, respectivamente); Paulo Skaf (52% e 5%, respectivamente); João Doria (52% e 16%, respectivamente); Roberto Justus (51% e 19%, respectivamente); Rodrigo Janot (49% e 22%, respectivamente); Tasso Jereissati (48% e 5%, respectivamente); Luciana Genro (47% e 3%, respectivamente); Nelson Jobin (46% e 3%, respectivamente); Ayres Brito (44% e 2%, respectivamente); Deltan Dallagnol (42% e 13%, respectivamente) e Cármen Lúcia (39% e 29% respectivamente).

Leia mais sobre Política no Blog do Maurício Araya:

E você? Qual sua opinião sobre a Operação Lava-Jato? Deve continuar? Deixe seu comentário!

Eleições 2016: veja o perfil dos candidatos no MA

Publicado em

As Eleições 2016 estão chegando, e você sabe qual o perfil dos candidatos que disputarão os cargos de vereador, prefeito e vice-prefeito? Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que nas eleições municipais de 2016, 16.576 candidatos disputam 2.401 vagas de vereador no Maranhão; 677 candidatos disputam as 217 vagas de prefeito; e outros 677 de vice-prefeito.

A maior parte (69%) dos candidatos é formada por homens: 12.385 candidatos, contra 5.545 mulheres (31%).

Por faixa etária, 3.004 candidatos estão entre 40 e 44 anos; seguidos pelos entre 35 e 39 anos (2.882 candidatos); 45 a 49 anos (2.567); 30 a 34 anos (2.345); 50 a 54 anos (2.046); 25 a 29 anos (1.401); e 55 a 59 anos (1.359). Outros 1.502 candidatos têm mais de 60 anos. Dois disputam as eleições com menos de 18 anos.

Por etnia, 64% (11.555 candidatos) se declararam pardos; 23% (4.134) se declararam brancos; e 12% (2.113) se declararam negros.

LEIA OUTROS DESTAQUES SOBRE ATUALIDADES

A maioria (48%, 8.691 candidatos) se declarou casado(a). Outros 46% (8.195 candidatos) se declarou solteiro(a).

Por profissão, 22,33% (1.856) se declarou agricultor; 1.206 (14,51%) já são vereadores, e disputam a reeleição; 1.079 candidatos (12,98%) são trabalhadores rurais; e l1.067 (12,84%) são professores de ensino fundamental. Mais de 3,1 mil candidatos (37,33%) declararam ao TSE ter outras profissões.

Do total de candidatos nas Eleições 2016, 7.206 (40,19%) disseram ter o ensino médio completo; 3.780 (21,08%) declararam ter o ensino superior completo; 2.629 (14,66%) o ensino fundamental completo; 2.263 (12,62%) o ensino fundamental incompleto; 807 (4,5%) disseram saber ler e escrever; 632 (3,52%) informaram ter o ensino médio incompleto; e 611 (3,41%) o superior incompleto. Apenas dois candidatos disseram ser analfabetos.

Eleitorado
Ao todo, são 4.611.247 eleitores no Maranhão aptos a votar nas Eleições 2016 – aumento de mais de 110 mil eleitores comparado às eleições gerais de 2014, quando o Estado possuía 4.497.336 eleitores em sua base. As mulheres formam 51% do eleitorado maranhense.

Desses, 2.091.758 já foram cadastrados no sistema de biometria, que usa identificação por meio da impressão digital; e outros 2.519.489 vão votar no sistema antigo. Os eleitores já recadastrados estão distribuídos entre 44 municípios, dos 217 em todo o Maranhão.

Grande parte desses eleitores (26,3%) possui ensino fundamental incompleto. Outros 17,69% apenas leem e escrevem; seguidos dos que possuem ensino médio completo (17,6%); dos que têm ensino médio incompleto (15,26%); analfabetos (11,26%); dos que possuem ensino fundamental completo (5,54%); superior completo (3,95%); e superior incompleto (2,36%).

Na pirâmide etária, destaque para os eleitores entre os 21 e os 39 anos. A maior parte dos eleitores é da faixa entre 25 e 29 anos (12,29%); seguido pela faixa etária entre 30 e 34 anos 12,28%); 35 a 39 anos 10,62%); e 21 a 24 anos 9,97%).