VÍDEO: eclipse solar de 21 de agosto em timelapse

Publicado em

Nesta semana, o mundo inteiro voltou os olhos aos Estados Unidos. O eclipse solar de 21 de agosto trouxe, para os cientistas, uma grande oportunidade de contemplar o espetáculo e realizar estudos inéditos sobre a Lua e o Sol, e, por isso, foi considerado o ‘eclipse do século’ por lá.

Eclipse solar parcial em São Luís
Eclipse solar parcial em São Luís (Foto: Maurício Araya)

Você viu, no Blog do Maurício Araya: a Lua encobriu totalmente o Sol por cerca de 2 minutos e 30 segundos, e sua sombra percorreu 14 dos 50 Estados Unidos.

A sombra da Lua percorreu, ainda, países da América do Norte, América Central, Caribe, ao norte da América do Sul e oeste da Europa e África também puderam observar o eclipse do Sol.

Em São Luís, um dos pontos de melhor observação do eclipse solar parcial no Brasil, a Lua começou a encobrir o Sol por volta das 16h (horário de Brasília), chegando ao seu ápice – cerca de 40% – pouco após as 17h10.

Como amante da ciência, em especial a astronomia, resolvi fazer, também, algumas experimentações. Usando cinco câmeras – entre elas duas fotográficas, duas de aventura e uma de celular –, registrei o eclipse solar de 21 de agosto.

Uma das minhas dúvidas era: temos a percepção visual da passagem da Lua sobre o Sol durante um eclipse parcial? No registro em timelapse – processo de aceleração das imagens –, pude reparar que, ainda que pequena, a percepção visual é, sim, de um ‘escurecimento’.

Essa percepção, claro, é proporcionada pelo horário em que o eclipse aconteceu: próximo ao pôr do Sol, a atmosfera terrestre funciona como filtro, permitindo a observação e até o registro, em fotografia e vídeo, do disco do Sol. Por isso, quase no fim da passagem, foi possível registrar o eclipse sem o Sol parecer só um clarão nas imagens.

No Brasil, eclipse solar foi observado de forma parcial
No Brasil, eclipse solar foi observado de forma parcial (Foto: Maurício Araya)

No vídeo, entretanto, a própria câmera se encarregou de corrigir a aparente falta de luz.

Como observar um eclipse solar com segurança?

Já havia pesquisado sobre formas de como observar o fenômeno com segurança e com materiais simples, já que não é recomendado olhar por muito tempo para o Sol – e, principalmente, durante um eclipse solar parcial, em que a percepção visual do fenômeno a olho nu é quase nula.

Uma das formas de observação, segundo o que havia pesquisado, é pela projeção por meio de um espelho de aumento. Não resultou.

Outra, seria a projeção por meio de uma caixa de cereal ou de sapato, por exemplo. Basta fazer um furo em uma face e, dentro da caixa, a imagem do eclipse seria projetada – no mesmo princípio do funcionamento das câmeras fotográficas. Esse foi o método mais acertado.

Para observar o andamento do eclipse em segurança, usei uma caixa de projeção
Para observar o andamento do eclipse em segurança, usei uma caixa de projeção (Foto: Maurício Araya)

Com um furo em uma folha de papel, por exemplo, é possível projetar a mesma imagem em outras superfícies, como uma parede ou outra folha de papel.

Usando uma folha de papel com um furo, também é possível projetar o eclipse na parede, e acompanhar o fenômeno sem risco
Usando uma folha de papel com um furo, também é possível projetar o eclipse na parede, e acompanhar o fenômeno sem risco (Foto: Maurício Araya)

As regiões Norte e Nordeste do Brasil vão experimentar, nos próximos anos, mais dois eclipses solares: um em 14 de outubro de 2023, com um eclipse anular, em que a Lua fica, de forma aparente, menor que o Sol, criando a imagem de um círculo de fogo durante o ápice do fenômeno; e outro no dia 12 de agosto de 2045, quando um eclipse solar total poderá ser observado nos Estados do Amapá, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco.

E um detalhe: em 2045, moradores das cidades de Belém, São Luís, João Pessoa e Recife terão o melhor ponto de observação do eclipse, com duração de até 6 minutos.

FOTOS: eclipse solar de 21 de agosto em São Luís

Publicado em

O mundo inteiro voltou os olhos aos Estados Unidos nesta segunda-feira (21). Emissoras de televisão e redes sociais repercutiram bastante o eclipse solar de 21 de agosto: os norte-americanos tiveram uma rara oportunidade de observar o fenômeno – considerado, por alguns, o ‘eclipse do século’. A Lua encobriu totalmente o Sol, e sua sombra percorreu 14 Estados.

No Brasil, eclipse solar foi observado de forma parcial
No Brasil, eclipse solar foi observado de forma parcial (Foto: Maurício Araya)

Habitantes de países da América do Norte, América Central, Caribe, ao norte da América do Sul e oeste da Europa e África também puderam observar o eclipse do Sol, mas de forma parcial. No Brasil, moradores das regiões Norte e Nordeste foram os privilegiados.

Eclipse solar parcial em São Luís
Eclipse solar parcial em São Luís (Foto: Maurício Araya)

Em São Luís, um dos pontos de melhor observação do eclipse solar parcial, as condições do tempo permitiram a observação. A Lua começou a encobrir o Sol por volta das 16h (horário de Brasília), chegando ao seu ápice – cerca de 40% – pouco após as 17h10.

Eclipse solar parcial em São Luís
Eclipse solar parcial em São Luís (Foto: Maurício Araya)
Eclipse solar parcial em São Luís
Eclipse solar parcial em São Luís (Foto: Maurício Araya)
Até o pôr do sol, Lua encobriu parcialmente o Sol em São Luís
Até o pôr do sol, Lua encobriu parcialmente o Sol em São Luís (Foto: Maurício Araya)
Até o pôr do sol, Lua encobriu parcialmente o Sol em São Luís
Até o pôr do sol, Lua encobriu parcialmente o Sol em São Luís (Foto: Maurício Araya)
Para observar o andamento do eclipse em segurança, usei uma caixa de projeção
Para observar o andamento do eclipse em segurança, usei uma caixa de projeção (Foto: Maurício Araya)
Usando uma folha de papel com um furo, também é possível projetar o eclipse na parede, e acompanhar o fenômeno sem risco
Usando uma folha de papel com um furo, também é possível projetar o eclipse na parede, e acompanhar o fenômeno sem risco (Foto: Maurício Araya)

Com o tempo, eclipses solares totais vão se tornar menos frequentes

Em média, um eclipse solar total ocorre, aproximadamente a cada 18 meses em algum lugar da Terra, dependendo de um alinhamento perfeito entre Sol, Lua e Terra.

Geralmente, quando se fala em um eclipse, total ou parcial, nós damos maior importância ao Sol, mas é a Lua que também tem um papel fundamental no fenômeno. E é exatamente por isso que eventos espetaculares como os eclipses solares totais, em certo tempo, cessarão.

É que a Lua, em média, explicam os cientistas, distancia-se lentamente da Terra, a uma taxa de quatro centímetros por ano. Com o afastamento do satélite natural, seu tamanho aparente no céu será muito pequeno para cobrir o Sol completamente.

No entanto, não se preocupe: só daqui a 600 milhões de anos, a Terra experimentará um eclipse solar total pela última vez.

Atleta maranhense Bruno Lobo participa de competição internacional de kitesurf, na Califórnia

Publicado em

O atleta maranhense Bruno Lobo participa de uma competição internacional de kitesurf até dia 6 de agosto de 2017, na Califórnia, Estados Unidos. Esta é a terceira etapa do Hydrofoil Pro Tour USA. A primeira foi no México, e depois na França.

Atleta maranhense Bruno Lobo participa de competição internacional de kitesurf, na Califórnia
Atleta maranhense Bruno Lobo participa de competição internacional de kitesurf, na Califórnia

Rogério Luna, presidente da Associação dos Velejadores Maranhenses, foi acompanhando o atleta e lembrou que Bruno Lobo é o único brasileiro que participa do campeonato. Bruno está bastante confiante.

Estamos bem otimistas quanto ao resultado visto que treinamos muito para chegar até aqui

Bruno já se destacou em vários campeonatos locais e nacionais do kitesurf.

Serão quatro dias de competições com atletas do mundo inteiro, alto nível

Agora é torcer pelo melhor resultado na competição. Toda a sorte para o atleta!

Eclipse solar de 21 de agosto pode ser observado do Brasil

Publicado em

No próximo dia 21 de agosto de 2017, os norte-americanos terão a rara oportunidade de observar um eclipse total do Sol. A sombra da Lua, chamada de umbra quando o fenômeno ocorre, percorrerá 14 dos 50 Estados Unidos.

Eclipse solar total ocorre no próximo dia 21 de agosto, e poderá ser observado no Brasil
Eclipse solar total ocorre dia 21 de agosto, e poderá ser observado no Brasil

O fascinante fenômeno também poderá ser observado parcialmente no Brasil, e são os moradores das regiões Norte e Nordeste que serão os felizardos desta vez.

Segundo cientistas brasileiros, o eclipse parcial vai ter início após as 16h (horário de Brasília), e chegará a seu ápice próximo ao pôr do Sol.

O eclipse poderá ser observado ainda em países da América do Norte, América Central, Caribe, ao norte da América do Sul e oeste da Europa e África.

Sombra da Lua percorrerá regiões dos Estados Unidos e países da Américas do Norte, Central e do Sul
Sombra da Lua percorrerá regiões dos Estados Unidos e países da Américas do Norte, Central e do Sul

Em média, um eclipse solar total ocorre, aproximadamente a cada 18 meses em algum lugar da Terra. Num eclipse solar total, a Lua, nosso satélite natural, oculta completamente o Sol por alguns minutos, permitindo uma rara oportunidade de vislumbrar a coroa solar, em um alinhamento perfeito da Lua, Sol e Terra, como destaca Richard Vondrak, cientista do Goddard Space Flight Center da Nasa, a agência espacial americana.

Um eclipse total é uma dança com três parceiros: a Lua, o Sol e a Terra. Só pode acontecer quando há um alinhamento requintado da Lua e do Sol em nosso céu

Com um estudo mais aprofundado sobre os eclipses, os cientistas criaram representações mais detalhadas do fenômeno, que antes eram retratados como um círculo escuro ou oval percorrendo pela paisagem. Para o mapa deste ano, a forma se aproxima a um polígono irregular com bordas ligeiramente curvas, e muda à medida que a sombra se move ao longo do caminho.

O vídeo abaixo, criado pelo Goddard Space Flight Center com o Scientific Visualization Studio, explica como a posição da Lua cria o eclipse solar e porque esse é um evento tão raro ver – veja legendado utilizando a opção closed caption, com tradução automática.

O nível de detalhes sem precedentes foi alcançado com a ajuda da sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), que orbita a Lua, como explica Ernie Wright, pesquisador da Nasa.

Com a nova visualização, podemos representar a sombra umbral com mais precisão, considerando a influência da elevação em diferentes pontos da Terra

Ao norte do Brasil, evento será observado de forma parcial
Ao norte do Brasil, evento será observado de forma parcial

Eclipses solares totais vão se tornar menos frequentes

Geralmente, quando se fala em um eclipse, total ou parcial, nós damos maior importância ao Sol. Mas é a Lua que também tem um papel fundamental no fenômeno. E é exatamente por isso que eventos espetaculares como os eclipses solares totais, em certo tempo, cessarão.

Com o tempo, eventos assim cessarão
Com o tempo, eventos assim cessarão (Animação: Katy Mersmann/Nasa)

É que a Lua, em média, distancia-se lentamente da Terra, a uma taxa de quatro centímetros por ano. Com o afastamento do satélite natural, seu tamanho aparente no céu será muito pequeno para cobrir o Sol completamente, como conta Richard Vondrak.

Com o tempo, o número e a frequência dos eclipses solares totais diminuirão. Cerca de 600 milhões de anos, a Terra experimentará a beleza e o drama de um eclipse solar total pela última vez

Então, não precisa se preocupar… o fim dos eclipses solares só vai acontecer em um futuro muito, muito distante.

Quais são os assuntos mais procurados no Google?

Publicado em

O Google, certamente, é a página inicial do seu computador, tablet ou smartphone. Se não é, provavelmente é sua primeira janela para o mundo de informações disponíveis na internet. E há levantamentos que demonstram isso: o Google é a principal fonte de informação e conhecimento para os internautas, colocando de lado os jornais impressos e revistas, conforme a pesquisa sobre hábitos de consumo de 2017 da PayPal, em que foram ouvidos 300 jovens entre 18 e 36 anos de todos os Estados do Brasil. Mas você já se perguntou quais são os assuntos mais procurados no Google?

Google é principal fonte de informação para mais de 60% dos jovens brasileiros entre 18 e 36 anos, segundo pesquisa
Google é principal fonte de informação para mais de 60% dos jovens brasileiros entre 18 e 36 anos, segundo pesquisa

Com dados fornecidos pelo próprio buscador, o Blog do Maurício Araya lista os assuntos mais procurados no Google. Grande parte deles revelam os hábitos de consumo dos internautas.

As informações são referentes ao mês de junho de 2017, com termos mais pesquisados nos Estados Unidos, já que os resultados regionais só são divulgados por ano.

Algumas das categorias, no entanto, foram excluídas da lista por serem muito específicas do país.

Veja, abaixo, os termos mais procurados por segmento:

Alimentos
Properties of water (propriedades da água)
Chicken as food (frango como alimento)
Pizza
Cake (bolo)
Beer (cerveja)

Restaurantes fast-food
Pizza Hut
Domino’s Pizza
McDonald’s
Subway
Taco Bell

Animais
Dog (cão)
Cat (gato)
Horse (cavalo)
Fish (peixe)
Bird (pássaro)

Raças de cão
Labrador Retriever
Siberian Husky (husky siberiano)
Pit Bull
German Shepherd (pastor-alemão)
Chihuahua

Artistas
Beyoncé
Justin Bieber
Tupac Shakur
Rihanna
Drake

Artistas pop adolescentes
Beyoncé
Justin Bieber
Katy Perry
Selena Gomez
Taylor Swift

Automóveis
Ford Mustang
Chevrolet Camaro
Jeep Wrangler
Honda Civic
Honda Accord

Carros esportivos
Ford Mustang
Chevrolet Camaro
Chevrolet Corvette
Dodge Challenger
Dodge Charger (B-body)

Fabricantes de carros
Chevrolet
Toyota
Honda
Mercedes-Benz
Dodge

Cidades
New York City
Chicago
Las Vegas
Los Angeles
Washington, D.C.

Países e regiões
United States (Estados Unidos)
Mexico (México)
India (Índia)
Canada (Canadá)
United Kingdom (Reino Unido)

Empresas de varejo
Amazon.com
Walmart
The Home Depot
Target Corporation
Lowe’s

Marcas de moda
Fashion
Forever 21
H&M
American Eagle Outfitters
Gucci

Cientistas
Albert Einstein
Plato (Platão)
Thomas Jefferson
Stephen Hawking
Benjamin Franklin

Pessoas
Donald Trump
LeBron James
Walt Disney
James Comey
Beyoncé

Políticos
Donald Trump
James Comey
Barack Obama
Steve Scalise
Hillary Clinton

Livros
The Bible (Bíblia)
Thirteen Reasons Why (Os 13 Porquês)
Captain Underpants (Capitão Cueca)
Quran (Alcorão)
American Gods (Deuses Americanos)

Músicas
Happy Birthday to You (Parabéns pra você)
Let It Go
Hallelujah
Over the Rainbow
The Star-Spangled Banner

Filmes
The Mummy (A Múmia)
Moana
Cars 3 (Carros 3)
Beauty and the Beast (A Bela e a Fera)
Transformers

Programas de TV
Television program (programa de televisão)
Orange Is the New Black
Game of Thrones
The Bachelorette
SpongeBob SquarePants (Bob Esponja Calça Quadrada)

Programas de TV infantis
SpongeBob SquarePants (Bob Esponja Calça Quadrada)
Power Rangers
Steven Universe
PAW Patrol
Peppa Pig

Reality shows
The Bachelorette
America’s Got Talent
Big Brother
Bachelor in Paradise
Teen Mom

Jogos
Overwatch
Pokémon Go
Patience (Paciência)
Lego
Ark: Survival Evolved

Tecnologias de software
Android
Python
Java
HTML
JavaScript

Assuntos mais procurados no Google pelos brasileiros

Os dados mais recentes sobre termos mais procurados no Google pelos brasileiros são de 2016. E no topo da lista não poderiam faltar os assuntos que, de fato, marcaram o ano, como a febre do jogo Pokemon Go; os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro; as polêmicas do Big Brother Brasil; o acidente com o time de futebol da Chapecoense; e, como não poderia deixar de faltar, o futebol, com a tabela do Brasileirão.

Dados sobre assuntos mais procurados no Google são divulgados pelo próprio buscador
Dados sobre assuntos mais procurados no Google são divulgados pelo próprio buscador

Entre as personalidades de destaque, estiveram na lista: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; a apresentadora de TV Ana Hickmann; o presidente americano Donald Trump; a também apresentadora de TV Fernanda Gentil; os atores e atrizes Alexandre Borges, Leonardo DiCaprio, Paulo Zulu, Alan Rickman, Guilherme Karan, Camila Pitanga, Larissa Manoela, Monica Iozzi, Munik Nunes e Marion Cotillard.

Entre os filmes mais buscados, estão: Deadpool, Esquadrão Suicida, Batman vs Superman, Invocação do Mal 2 e Procurando Dory.

O que é…? Muita gente foi em busca do significado de algumas gírias e palavras no Google. Entre os termos mais procurados da categoria, estão: crush; amor; substantivo; logradouro; e filosofia.

E muitos brasileiros tentaram entender os porquês de alguns acontecimentos no Brasil e no mundo. No ranking de curiosidades de 2016, muitos brasileiros se perguntaram: por que Geraldo Luiz saiu da Record? Por que o Reino Unido quer sair da União Europeia? Por que Monica Iozzi vai sair do Vídeo Show? Por que o WhatsApp foi bloqueado? E por que o Estado Islâmico ataca a França?

Em imagens incríveis, sonda Juno, da Nasa, revela cores e texturas de Júpiter

Publicado em

Lançada em agosto de 2011, de Cabo Canaveral, nos Estados Unidos, a sonda Juno, da Nasa – a agência espacial americana –, tem enviado imagens incríveis, que vão permitir aos cientistas compreender mais sobre o maior planeta do Sistema Solar, Júpiter.

Ilustração retrata sonda Juno, da Nasa, sobre o polo-sul de Júpiter
Ilustração retrata sonda Juno, da Nasa, sobre o polo sul de Júpiter (Arte: Nasa/JPL-Caltech)

As imagens mais recentes enviadas pela sonda Juno mostram um ângulo inédito da Grande Mancha Vermelha, uma enorme tempestade – a maior existente no Sistema Solar –, oval e anticiclônica, característica do planeta. Sua largura, de 16,3 mil km, poderia cobrir completamente a Terra, sendo 1,3 vezes maior que o nosso planeta. E ela já foi maior, suficiente para caber duas Terras.

Medindo 16,3 mil km, Grande Mancha Vermelha é 1,3 vezes maior que o planeta Terra
Medindo 16,3 mil km, Grande Mancha Vermelha é 1,3 vezes maior que o planeta Terra (Arte: Nasa/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Christopher Go)

Por meio de instrumentos científicos da sonda Juno e da JunoCam, os cientistas coletam dados e captam imagens espetaculares do planeta. No caso da Grande Mancha Vermelha, elas revelam um emaranhado de nuvens que formam o mais icônico ‘habitante’ de Júpiter, que existe, possivelmente há mais de 350 anos.

Diversas sondas enviadas pela Nasa – entre elas Voyager, Galileo, New Horizons e Cassini, e até do próprio telescópio Hubble – já fizeram imagens do planeta, mas a Juno permitirá conhecer melhor a atmosfera de Júpiter. Acredita-se, por exemplo, que a cor da Grande Mancha Vermelha se dá pela presença de moléculas orgânicas complexas e fósforo vermelho. Os ventos, dentro da tempestade, podem chegar a 600 km/h – clique nas imagens abaixo para vê-las em alta definição.

Imagem da Grande Mancha Vermelha, captada no dia 10 de julho de 2017, foi feita no sétimo voo rasante da sonda Juno em Júpiter
Imagem da Grande Mancha Vermelha, captada no dia 10 de julho de 2017, foi feita no sétimo voo rasante da sonda Juno em Júpiter (Foto: Nasa/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Kevin Gill)
Imagem da Grande Mancha Vermelha, captada no dia 10 de julho de 2017, foi feita no sétimo voo rasante da sonda Juno em Júpiter
Imagem da Grande Mancha Vermelha, captada no dia 10 de julho de 2017, foi feita no sétimo voo rasante da sonda Juno em Júpiter (Foto: Nasa/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Gerald Eichstädt)

Scott Bolton, do Southwest Research Institute (SwRI) e principal pesquisador da missão Juno, comemora a possibilidade de complementar o monitoramento feito pela comunidade científica desde 1830.

Por centenas de anos, os cientistas observaram, imaginando e teorizando sobre a Grande Mancha Vermelha. Agora, temos as melhores fotos dessa tempestade icônica. Isso nos levará algum tempo para analisar todos os dados, não só da JunoCam, mas dos oito instrumentos científicos de Juno, para lançar novas luzes sobre o passado, presente e futuro da Grande Mancha Vermelha

As imagens publicadas esta semana foram feitas a uma distância de 3,5 mil km acima das nuvens do planeta, fazendo rasantes de até 9 mil km acima das nuvens da Grande Mancha Vermelha.

Veja algumas das imagens mais incríveis enviadas pela sonda Juno (clique em cada uma delas para ver em alta definição):

Imagens captadas em maio de 2017 mostram três das tempestades ovais brancas, conhecidas como String of Pearls
Imagens captadas em maio de 2017 mostram três das tempestades ovais brancas, conhecidas como String of Pearls (Foto: Nasa/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Gerald Eichstädt /Seán Doran)
Registro feito com a JunoCam mostra polo sul de Júpiter
Registro feito com a JunoCam mostra polo sul de Júpiter (Foto: Nasa/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Gabriel Fiset)
Nuvens na zona tropical do sul de Júpiter, compostas provavelmente por água e gelo amoníaco
Nuvens na zona tropical do sul de Júpiter, compostas provavelmente por água e gelo amoníaco (Foto: Nasa/SwRI/MSSS/Gerald Eichstädt/Seán Doran)
Imagem registrada no terceiro voo fechado em Júpiter, que mostra Pérola, uma das oito tempestades rotativas maciças a 40 graus de latitude sul do planeta
Imagem registrada no terceiro voo fechado em Júpiter, que mostra Pérola, uma das oito tempestades rotativas maciças a 40 graus de latitude sul do planeta (Foto: Nasa/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Eric Jorgensen)
Sonda Juno faz estudo da atmosfera de Júpiter
Sonda Juno faz estudo da atmosfera de Júpiter (Foto: Nasa/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Roman Tkachenko)
Registro do polo sul de Júpiter, e sua turbulenta atmosfera
Registro do polo sul de Júpiter, e sua turbulenta atmosfera (Foto: Nasa/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Jason Major)
Visão das nuvens brilhantes da zona tropical sul do planeta Júpiter
Visão das nuvens brilhantes da zona tropical sul do planeta Júpiter (Foto: Nasa/SwRI/MSSS/Gerald Eichstädt/Seán Doran)

O próximo passeio da sonda Juno pela atmosfera de Júpiter deve ocorrer em 1º de setembro.

Logan, despedida a Wolverine à altura de Hugh Jackman: minha análise sobre o filme

Publicado em

Se era para ser uma despedida, que despedida! Há mais de 15 anos – desde X-Men (2000) – na pele do nosso querido Wolverine, Hugh Jackman ‘desencarnou’ do mutante. Logan (2017), mais que o término de um ciclo, é um presente aos fãs da série, explorando o que há de mais profundo no personagem.

Enquanto assistia, ensaiava um trecho da minha análise em que eu diria que o filme não conta com um, mas três Wolverines; mas não só um, quatro Wolverines estrelam Logan – quem estiver atento aos detalhes, verá o quarto nos últimos segundos do filme.

Sem fazer segredo – mas sem dar spoiler –, Logan é, sim, um filme de violência, bastante violência, com cenas incrivelmente realistas. Com muito sangue e ‘cabeças – no sentido literal da expressão – rolando’ pelo chão, o filme empolga aos que buscam por ação.

A história se passa em 2029, num futuro idealizado com não só o domínio das máquinas no transporte de cargas pelas rodovias dos Estados Unidos, mas também em que os fones de ouvido ainda têm fios. Pequenas ‘falhas’ à parte, este mundo do futuro está perdendo os mutantes que pouco restam.

Em uma iniciativa do projeto Transigen, liderado pelo doutor Zander Rice (Richard E. Grant) e Nathaniel Essex (Boyd Holbrook), crianças foram criadas para se tornar novos mutantes. Entre elas, Laura (Dafne Keen), ou X-23, clone malsucedido que carrega em seu corpo a carga genética de Wolverine. Laura foi adotada por Gabriela (Elizabeth Rodriguez), enfermeira da Transigen. Mas assim como Laura, há outras crianças-mutantes que fugiram do projeto, e a Transigen não deixa isso por menos.

Dafne Keen é Laura, ou X-23, em Logan
Dafne Keen é Laura, ou X-23, em Logan

Na mira da maligna corporação que busca as crianças-mutantes, estão os poucos X-Men que restaram: Logan, Caliban (Stephen Merchant) e o professor Charles Xavier (Patrick Stewart), escondidos em uma fábrica abandonada na fronteira entre os Estados Unidos e o México.

Logan recebe missão de proteger sua ‘filha’, Laura
Logan recebe missão de
proteger sua ‘filha’, Laura

Logan, que até então tentava levar uma pacata vida de motorista de limusine, recebe a missão de proteger sua ‘filha’, Laura, e levá-la ao encontro das outras crianças-mutantes, refugiadas no ‘Éden’, na Dakota do Norte.

Doente e viciado em bebida, Logan mostra um lado mais ‘humano’ de Wolverine. Vai além: o filme passeia pelas nuances de filho, pai e avô de Logan. Isso é muito bem representado no cuidado que Logan demonstra ter, o tempo todo, com seu mentor, Charles Xavier; e, posteriormente, com sua ‘filha’.

Doente, Xavier vive escondido na fronteira do México
Doente, Xavier vive escondido na fronteira do México
Filme tem todos elementos de uma grande batalha
Filme tem todos elementos
de uma grande batalha

Aliás, o professor X – ainda que tomado por transtornos psíquicos – protagoniza cenas de arrepiar, demonstrando toda a força do seu poder, e a grande resistência necessária a ele.

Com X-24 – o bem-sucedido clone de Wolverine –, o filme traz a batalha mais ‘épica’, se posso assim dizer, da série; superando o até bonzinho X-Men Origens: Wolverine (X-Men Origins: Wolverine, 2009) e o pouco provocante Wolverine: Imortal (The Wolverine, 2013).

Ação, drama, despedidas… não só para Hugh Jackman. Sim, outros personagens morrem no filme, dando um toque melancólico a grande parte das cenas.

Filme marca despedida de Hugh Jackman a Wolverine
Filme marca despedida de Hugh Jackman a Wolverine

Com um fim que não só honra a trajetória de Hugh, Logan ou Wolverine – como você preferir –, mas homenageia todos os X-Men, só não se não se rendem à emoção os mais fortes.