⅓ da população mundial está menos propensa a viajar para o Brasil

Publicado em

Pesquisa Global Ipsos identificou o impacto de recentes episódios, como desastres naturais, mudanças políticas e ataques terroristas, nos planos de viagens de cidadãos de 25 países para 30 destinos sugeridos. O resultado não é animador para o Brasil: 33% dos entrevistados afirmaram que perderam o interesse em viajar para o Brasil. Apenas um entre cada 10 entrevistados se mostrou firme no desejo.

Brasileiros não demostram grande interesse em sair do país, segundo pesquisa Ipsos
Brasileiros não demostram grande interesse em sair do país, segundo pesquisa Ipsos

os brasileiros não demostram um grande interesse em sair do país. Questionados se pretendem ou não realizar viagens internacionais, 61% disseram que se tornaram menos propícios contra 12% que demonstraram interesse.

No caso específico dos Estados Unidos, 54% dos entrevistados brasileiros declararam que tem baixo interesse em visitar a terra do presidente Donald Trump. O número é muito próximo com o de dois outros países latino-americanos: os entrevistados de México e Argentina com 51% (o mesmo percentual para ambos) também não desejam ir aos Estados Unidos.

54% dos brasileiros declararam ter baixo interesse em viajar aos Estados Unidos
54% dos brasileiros declararam ter baixo interesse em viajar aos Estados Unidos

Apesar deste resultado, os Estados Unidos são um dos destinos preferidos da população mundial no momento ao lado de países como Itália, Canadá, Austrália e Reino Unido. Indianos (48%) e chineses (36%) são os que mais demonstram interesse em visitar os Estados Unidos. Novamente os indianos (37%) e os chineses (34%) são os mais favoráveis a visitarem o Canadá.

A pesquisa ocorreu em 25 países: África do Sul, Alemanha, Arabia Saudita, Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos França, Grã-Bretanha, Hungria, Índia, Itália, Japão, México, Peru, Polônia, Rússia, Servia, Suécia e Turquia. Foram entrevistadas 18,05 mil pessoas, sendo adultos de 18 a 64 anos nos Estados Unidos e no Canadá e de 16 e 64 anos nos demais países. A margem de erro é de 3,1%.

Festival gastronômico reúne sabores da culinária maranhense

Publicado em

Com destinos incríveis e belas paisagens, o Nordeste oferece, também, uma vasta culinária, influenciada pela mistura de índios, portugueses e africanos. O Maranhão, segundo maior da região, é um dos que apresenta uma gastronomia mais repleta de especiarias, peixes e mariscos, que são a base para receitas ancestrais e de sabor inconfundível. Para celebrar a culinária maranhense, um festival ocorre até o dia 23 de abril, em São Luís.

Um de seus pratos típicos é o cuxá, com influência das ocas indígenas e dos escravos negros africanos, que misturavam e socavam farinhas e camarões secos. O prato recebe, ainda, temperos de origem portuguesa. As frutas regionais são o cajá, caju, manga, mangaba, graviola, pitanga, acerola, sapoti, bacuri e abricó.

Além de belas paisagens, como a dos Lençóis Maranhenses, Maranhão oferece vasta gastronomia
Além de belas paisagens, como a dos Lençóis Maranhenses, Maranhão oferece vasta gastronomia

Com iniciativa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) no Maranhão, o Festival Gastronômico Delícia do Mar, que ocorre pela segunda vez no Estado, reúne restaurantes de nove cidades da Região Metropolitana e do litoral ocidental maranhense.

O público que participa do evento tem a oportunidade de degustar receitas especiais que resgatam ingredientes peculiares, cores, cheiros e os sabores da culinária maranhense. Nesta edição, 47 restaurantes participam, e cada um oferece a especialidade da casa por preços diferenciados, para que qualquer pessoa tenha acesso.

Entre os restaurantes participantes estão o Feijão de Corda, que apresenta a moqueca maranhense (peixe piramuntaba, camarão e patinha de caranguejo) e a taça regional (sorvete de bacuri e coco com geleia de pimenta) como sobremesa.

Já o restaurante Thai Cozinha Contemporânea servirá camarões salteados e flambados na tiquira, ao molho pomodoro da casa, acompanhado do mais legítimo spaguetti italiano, e tiramissu da Amazônia, uma homenagem à tradicional receita italiana, feita com o mais leve puro bacuri amazônico e um leve aroma de café.

A rede hoteleira também se mobilizou para o festival gastronômico. Próximo aos hotéis da rede BHG, por exemplo, que só em São Luís são três – Praiabella, Solare American e Soft Inn –, ficam próximos a alguns dos restaurantes participantes, como a Barraca do Chef, na orla da capital maranhense, que oferece o risoto de uritinga com alho porro e torta de limão; e tem até pizzaria participando do festival, como a Vignoli, com a opção de pizza de camarão e torta quente de banana com sorvete de canela para sobremesa.

Com uma população de 1,08 milhão de habitantes (IBGE, 2016), São Luís é a única capital do Brasil fundada por franceses, e recebeu esse nome em homenagem ao rei francês Luís XIII. Além da história, a cidade preserva culturas e tradições. O bumba meu boi, representação folclórica que combina teatro, música e dança, atrai turistas de todos os cantos a fim de participar da colorida festa que toma conta das ruas nos meses de junho e julho.

Destino: Goiânia

Publicado em

Quem me acompanha pelo Instagram (@mauricioaraya) e Snapchat (mauricioaraya) sabe que estive nesse mês de janeiro de 2016 em Goiânia. Infelizmente, não estive por diversão, mas resolvi fazer um pequeno guia de experiências pela capital goiana para quem também tiver o prazer de visitar essa encantadora cidade – ainda que muita coisa fique de fora.

Primeiramente, é preciso entender que Goiânia não possui muitos atrativos turísticos – o mais próximo e um dos mais conhecidos de todo o país está a cerca de 150 km, Caldas Novas. Localizada no coração do Brasil, é uma cidade ainda nova, planejada. Seu ar de modernidade é percebido em alguns pontos característicos da capital, como nos monumentos dos viadutos João Alves de Queiroz e Latif Sebba, localizados nas avenidas T-63 e 85, respectivamente.

Outro encanto da cidade é seu verde e parques, como o famoso Vaca Brava, Areião, Botafogo, Flamboyant, entre outros.

Eis, então, algumas sugestões de lugares que você precisa visitar ao passar em Goiânia ou serviços que precisar:

História: para conhecer um pouco mais sobre a fundação de Goiânia é preciso visitar o ‘marco zero’ da cidade, que é a Praça Cívica Doutor Pedro Ludovico Teixeira, onde estão localizados os palácios Pedro Ludovico Teixeira e das Esmeraldas, além do Monumento às Três Raças – que faz uma homenagem ao povo goiano;

Gastronomia: quer comer bem em Goiânia? Não faltam opções para saborear deliciosos pratos na cidade. As minhas sugestões são os restaurantes Piquiras – localizado no setor Marista e nos shoppings Buena Vista (setor Bueno), Bougainville (Marista) e Flamboyant (Jardim Goiás) –, Cateretê – onde tive o prazer de saborear o filé à Cateretê, que serve perfeitamente quatro pessoas; localizado no setor Bueno, avenida T-2 – e Kabanas – onde há uma picanha acompanhada de farofa de banana e arroz com brócolis ‘dos Deuses’, localizado no setor Bueno, avenida T-3, e no shopping Flamboyant.

Busca uma boa pizza? A dica é a Pitigliano, localizada na avenida Portugal, setor Oeste. Simplesmente, a melhor da cidade.

Passeio e compras: buscando lazer ou algo para presentear alguém? Com mais de 132 mil m², o Flamboyant Shopping Center é um dos maiores shoppings do país e é o lugar sem erro para encontrar o que precisar na cidade. Fica localizado na avenida Jamel Cecílio, setor Jardim Goiás. Outra dica é o Goiânia Shopping, um dos mais charmosos da capital goiana. O centro comercial fica em frente ao parque Vaca Brava (e pecado mesmo é não sair ser conhecer esse belo parque da cidade).