Congresso Nacional custa R$ 1,16 milhão por hora para o cidadão brasileiro

Publicado em

Cálculos da organização não governamental (ONG) Contas Abertas mostram que o Poder Legislativo no Brasil custa ao cidadão brasileiro R$ 1,16 milhão por hora, ao longo dos 365 dias do ano. Os custos do nosso Congresso Nacional incluem fins de semana, recessos e até as segundas e sextas-feiras, quando os políticos deixam a capital federal, Brasília, para fazer política em suas bases eleitorais.

Levantamento sobre custo do Congresso Nacional é da ONG Contas Abertas, e comprova: nossos políticos são os mais bem pagos da América Latina
Levantamento sobre custo do Congresso Nacional é da ONG Contas Abertas, e comprova: nossos políticos são os mais bem pagos da América Latina

Gil Castello Branco, presidente da ONG Contas Abertas, lembra que o cálculo leva em consideração não só o custo dos congressistas em si, mas de toda a máquina.

As pessoas ficam muito restritas a quanto custa um parlamentar em si, com todas as suas mordomias. Isso custa caro, sim. Mas o Congresso tem uma estrutura muito maior que isso que consome recursos públicos, dificultando ainda mais o equilíbrio no orçamento

Cada deputado federal, segundo o levantamento, recebe um salário bruto de R$ 33,7 mil, um valor superior ao do próprio presidente da República, Michel Temer – que, nas próximas semanas, vai ser seu destino definido pelo Congresso Nacional –, e seus ministros, que ganham R$ 30,9 mil mensais.

Nossos políticos, de acordo com diversos levantamentos de organizações e publicações estrangeiras, são os mais bem pagos da América Latina, seguidos por Chile, Colômbia e México.

Na soma, todos os benefícios indiretos que eles têm, como verba de gabinete, cota de passagens para seus destinos eleitorais e reembolso com despesas de saúde, e o valor aumenta para números estratosféricos: juntos, os 513 deputados custam, em média, R$ 86 milhões ao mês, custo anual de R$ 1 bilhão.