Corrupção: brasileiros são a favor de regras firmes contra políticos corruptos

Publicado em

O que o Brasil mais precisa para superar a atual crise política? Esta é uma das questões que a pesquisa Pulso Brasil de julho de 2017, realizada pela Ipsos, abordou com 1,2 mil entrevistados em em 72 municípios brasileiros. No estudo, três soluções foram apresentadas aos brasileiros: colocar no poder líderes fortes para instituir a ordem, criar regras firmes contra políticos corruptos e aplicar efetivamente as regras já existentes contra corrupção. Comparando todas as ideias entrei si, para a ampla maioria dos brasileiros, a melhor opção é a criação de regras firmes contra políticos corruptos. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais.

Corrupção: brasileiros são a favor de regras firmes contra políticos corruptos
Corrupção: brasileiros são a favor de regras firmes contra políticos corruptos

Quando confrontando os líderes fortes versus as regras firmes, a porcentagem de favorabilidade de cada proposta é de 25% e 71%, respectivamente.

Já quando questionados se a melhor solução é a criação das regras ou a aplicação efetiva das normas já existentes, os índices de aceitação de cada uma são 67% e 28%, respectivamente.

Apesar das desavenças no apoio partidário, os brasileiros estão em consenso em torno de causas comuns: para 81% o problema do país é o sistema político – independente dos partidos políticos; 88% dos brasileiros afirmam que a população deveria se unir em torno das causas comuns e não brigar defendendo partidos específicos e 84% avaliam que discutir a favor dos partidos políticos só faz com que as pessoas não debatem os reais problemas do Brasil.

O levantamento também mostra que apesar da descrença sobre as mudanças políticas, a maioria (84%) acredita que é possível estabelecer um governo sem corrupção. E 52% não acham que a corrupção brasileira é culpa do povo que elegeu os políticos.

O voto obrigatório também foi questionado: 74% dos participantes são contra a medida. A maioria dos brasileiros (53%) acredita que com o voto sendo opcional a democracia seria fortalecida.

Além disso, o estudo levantou outros temas atuais. Para 86% dos entrevistados a democracia no Brasil não é respeitada. Já 50% consideram a democracia o melhor regime para o país, enquanto 47% avaliam que o tipo de democracia praticada no Brasil não é o melhor para a nação verde amarela.

País do futuro?

Os brasileiros ainda se mostram confiantes na riqueza inerente da nação e que esta riqueza iria emergir com o fim da corrupção. Para 90% dos participantes, o Brasil teria outro nível de desenvolvimento se não fosse os problemas relacionados à corrupção. 89% dos entrevistados também afirmam que o país tem riquezas suficientes para ser uma nação de primeiro mundo.

Quais são os assuntos mais procurados no Google?

Publicado em

O Google, certamente, é a página inicial do seu computador, tablet ou smartphone. Se não é, provavelmente é sua primeira janela para o mundo de informações disponíveis na internet. E há levantamentos que demonstram isso: o Google é a principal fonte de informação e conhecimento para os internautas, colocando de lado os jornais impressos e revistas, conforme a pesquisa sobre hábitos de consumo de 2017 da PayPal, em que foram ouvidos 300 jovens entre 18 e 36 anos de todos os Estados do Brasil. Mas você já se perguntou quais são os assuntos mais procurados no Google?

Google é principal fonte de informação para mais de 60% dos jovens brasileiros entre 18 e 36 anos, segundo pesquisa
Google é principal fonte de informação para mais de 60% dos jovens brasileiros entre 18 e 36 anos, segundo pesquisa

Com dados fornecidos pelo próprio buscador, o Blog do Maurício Araya lista os assuntos mais procurados no Google. Grande parte deles revelam os hábitos de consumo dos internautas.

As informações são referentes ao mês de junho de 2017, com termos mais pesquisados nos Estados Unidos, já que os resultados regionais só são divulgados por ano.

Algumas das categorias, no entanto, foram excluídas da lista por serem muito específicas do país.

Veja, abaixo, os termos mais procurados por segmento:

Alimentos
Properties of water (propriedades da água)
Chicken as food (frango como alimento)
Pizza
Cake (bolo)
Beer (cerveja)

Restaurantes fast-food
Pizza Hut
Domino’s Pizza
McDonald’s
Subway
Taco Bell

Animais
Dog (cão)
Cat (gato)
Horse (cavalo)
Fish (peixe)
Bird (pássaro)

Raças de cão
Labrador Retriever
Siberian Husky (husky siberiano)
Pit Bull
German Shepherd (pastor-alemão)
Chihuahua

Artistas
Beyoncé
Justin Bieber
Tupac Shakur
Rihanna
Drake

Artistas pop adolescentes
Beyoncé
Justin Bieber
Katy Perry
Selena Gomez
Taylor Swift

Automóveis
Ford Mustang
Chevrolet Camaro
Jeep Wrangler
Honda Civic
Honda Accord

Carros esportivos
Ford Mustang
Chevrolet Camaro
Chevrolet Corvette
Dodge Challenger
Dodge Charger (B-body)

Fabricantes de carros
Chevrolet
Toyota
Honda
Mercedes-Benz
Dodge

Cidades
New York City
Chicago
Las Vegas
Los Angeles
Washington, D.C.

Países e regiões
United States (Estados Unidos)
Mexico (México)
India (Índia)
Canada (Canadá)
United Kingdom (Reino Unido)

Empresas de varejo
Amazon.com
Walmart
The Home Depot
Target Corporation
Lowe’s

Marcas de moda
Fashion
Forever 21
H&M
American Eagle Outfitters
Gucci

Cientistas
Albert Einstein
Plato (Platão)
Thomas Jefferson
Stephen Hawking
Benjamin Franklin

Pessoas
Donald Trump
LeBron James
Walt Disney
James Comey
Beyoncé

Políticos
Donald Trump
James Comey
Barack Obama
Steve Scalise
Hillary Clinton

Livros
The Bible (Bíblia)
Thirteen Reasons Why (Os 13 Porquês)
Captain Underpants (Capitão Cueca)
Quran (Alcorão)
American Gods (Deuses Americanos)

Músicas
Happy Birthday to You (Parabéns pra você)
Let It Go
Hallelujah
Over the Rainbow
The Star-Spangled Banner

Filmes
The Mummy (A Múmia)
Moana
Cars 3 (Carros 3)
Beauty and the Beast (A Bela e a Fera)
Transformers

Programas de TV
Television program (programa de televisão)
Orange Is the New Black
Game of Thrones
The Bachelorette
SpongeBob SquarePants (Bob Esponja Calça Quadrada)

Programas de TV infantis
SpongeBob SquarePants (Bob Esponja Calça Quadrada)
Power Rangers
Steven Universe
PAW Patrol
Peppa Pig

Reality shows
The Bachelorette
America’s Got Talent
Big Brother
Bachelor in Paradise
Teen Mom

Jogos
Overwatch
Pokémon Go
Patience (Paciência)
Lego
Ark: Survival Evolved

Tecnologias de software
Android
Python
Java
HTML
JavaScript

Assuntos mais procurados no Google pelos brasileiros

Os dados mais recentes sobre termos mais procurados no Google pelos brasileiros são de 2016. E no topo da lista não poderiam faltar os assuntos que, de fato, marcaram o ano, como a febre do jogo Pokemon Go; os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro; as polêmicas do Big Brother Brasil; o acidente com o time de futebol da Chapecoense; e, como não poderia deixar de faltar, o futebol, com a tabela do Brasileirão.

Dados sobre assuntos mais procurados no Google são divulgados pelo próprio buscador
Dados sobre assuntos mais procurados no Google são divulgados pelo próprio buscador

Entre as personalidades de destaque, estiveram na lista: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; a apresentadora de TV Ana Hickmann; o presidente americano Donald Trump; a também apresentadora de TV Fernanda Gentil; os atores e atrizes Alexandre Borges, Leonardo DiCaprio, Paulo Zulu, Alan Rickman, Guilherme Karan, Camila Pitanga, Larissa Manoela, Monica Iozzi, Munik Nunes e Marion Cotillard.

Entre os filmes mais buscados, estão: Deadpool, Esquadrão Suicida, Batman vs Superman, Invocação do Mal 2 e Procurando Dory.

O que é…? Muita gente foi em busca do significado de algumas gírias e palavras no Google. Entre os termos mais procurados da categoria, estão: crush; amor; substantivo; logradouro; e filosofia.

E muitos brasileiros tentaram entender os porquês de alguns acontecimentos no Brasil e no mundo. No ranking de curiosidades de 2016, muitos brasileiros se perguntaram: por que Geraldo Luiz saiu da Record? Por que o Reino Unido quer sair da União Europeia? Por que Monica Iozzi vai sair do Vídeo Show? Por que o WhatsApp foi bloqueado? E por que o Estado Islâmico ataca a França?

⅓ da população mundial está menos propensa a viajar para o Brasil

Publicado em

Pesquisa Global Ipsos identificou o impacto de recentes episódios, como desastres naturais, mudanças políticas e ataques terroristas, nos planos de viagens de cidadãos de 25 países para 30 destinos sugeridos. O resultado não é animador para o Brasil: 33% dos entrevistados afirmaram que perderam o interesse em viajar para o Brasil. Apenas um entre cada 10 entrevistados se mostrou firme no desejo.

Brasileiros não demostram grande interesse em sair do país, segundo pesquisa Ipsos
Brasileiros não demostram grande interesse em sair do país, segundo pesquisa Ipsos

os brasileiros não demostram um grande interesse em sair do país. Questionados se pretendem ou não realizar viagens internacionais, 61% disseram que se tornaram menos propícios contra 12% que demonstraram interesse.

No caso específico dos Estados Unidos, 54% dos entrevistados brasileiros declararam que tem baixo interesse em visitar a terra do presidente Donald Trump. O número é muito próximo com o de dois outros países latino-americanos: os entrevistados de México e Argentina com 51% (o mesmo percentual para ambos) também não desejam ir aos Estados Unidos.

54% dos brasileiros declararam ter baixo interesse em viajar aos Estados Unidos
54% dos brasileiros declararam ter baixo interesse em viajar aos Estados Unidos

Apesar deste resultado, os Estados Unidos são um dos destinos preferidos da população mundial no momento ao lado de países como Itália, Canadá, Austrália e Reino Unido. Indianos (48%) e chineses (36%) são os que mais demonstram interesse em visitar os Estados Unidos. Novamente os indianos (37%) e os chineses (34%) são os mais favoráveis a visitarem o Canadá.

A pesquisa ocorreu em 25 países: África do Sul, Alemanha, Arabia Saudita, Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos França, Grã-Bretanha, Hungria, Índia, Itália, Japão, México, Peru, Polônia, Rússia, Servia, Suécia e Turquia. Foram entrevistadas 18,05 mil pessoas, sendo adultos de 18 a 64 anos nos Estados Unidos e no Canadá e de 16 e 64 anos nos demais países. A margem de erro é de 3,1%.

96% dos brasileiros querem que Operação Lava-Jato investigue todos os partidos políticos

Publicado em

Pesquisa Pulso Brasil de junho de 2017, realizada pela Ipsos, revela que a Operação Lava-Jato ganha cada vez mais a adesão dos brasileiros: para 96% dos entrevistados, as investigações necessitam averiguar todos os partidos políticos e a mesma porcentagem acredita que a operação deve continuar até o fim, custe o que custar.

Entrevistados acreditam que operação deve continuar até o fim, custe o que custar
Entrevistados acreditam que operação deve continuar até o fim, custe o que custar (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Realizada entre os dias 1º e 13 de junho de 2017, a pesquisa Ipsos contou com 1,2 mil entrevistas presenciais em 72 municípios brasileiros. A margem de erro é de 3%.

O estudo assinala ainda que 87% concordam que a operação vai fortalecer a democracia, enquanto 79% acreditam que a Operação Lava-Jato pode ajudar a transformar o Brasil num país mais sério. Além disso, os brasileiros são a favor da operação mesmo que traga mais instabilidade política ou econômica para o país, com 95% e 94%, respectivamente.

Brasileiros acreditam que Operação Lava-Jato fortalece a democracia
Brasileiros acreditam que Operação Lava-Jato fortalece a democracia (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Operação Lava-Jato e o rumo do Brasil

O levantamento aponta que 95% dos entrevistados consideram que o Brasil está no rumo errado, mostrando um acréscimo de dois pontos percentuais em relação ao índice de maio (93%).

A avaliação do governo do presidente Michel Temer também teve uma piora de quatro pontos percentuais comparado ao mês anterior, pois 84% dos brasileiros classificam a gestão Temer como ruim e péssima.

Barômetro político

A pesquisa analisou a atuação de 32 personalidades públicas e políticos. No ranking ‘Barômetro político’, o presidente Michel Temer é o nome mais mal avaliado (93%), seguido por Eduardo Cunha (92%), Aécio Neves (91%) e Renan Calheiros (84%).

Se comparar os números da avaliação dos últimos três ex-presidentes do país, Dilma Rousseff totaliza 82% de rejeição versus 14% de aprovação. Fernando Henrique Cardoso soma 74% de desaprovação contra 12% de aprovação. Já, Luiz Inácio Lula da Silva possui 68% de reprovação e 28% de aprovação.

Considerando os políticos que já disputaram o segundo turno em um pleito presidencial, Aécio Neves é o tucano com maior taxa de rejeição com 91%, alta de 14 pontos percentuais sobre a edição anterior. O político mineiro é seguido por José Serra, com 79% – aumento de nove pontos em relação a maio – e por último, Geraldo Alckmin com 71%, o que representa sete pontos a mais comparado ao último mês.

Marina Silva, da Rede, que vinha numa constante queda do índice de rejeição, em junho, apresenta taxa de desaprovação de 62%.

Por outro lado, o juiz Sérgio Moro, o apresentador da TV Globo Luciano Huck e o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa são os nomes melhores avaliados com 63%, 44% e 42% de aceitação, respectivamente

Outras personalidades que foram avaliadas quanto ao índice de desaprovação e aprovação são: Rodrigo Maia (64% e 3%, respectivamente); Romero Jucá (64% e 1%, respectivamente); Romário (59% e 14%, respectivamente); Gilmar Mendes (58% e 4%, respectivamente); Henrique Meirelles (57% e 4%, respectivamente); Marcelo Crivella (56% e 9%, respectivamente); Ciro Gomes (55% e 12%, respectivamente); Jair Bolsonaro (54% e 15%, respectivamente); Paulo Skaf (52% e 5%, respectivamente); João Doria (52% e 16%, respectivamente); Roberto Justus (51% e 19%, respectivamente); Rodrigo Janot (49% e 22%, respectivamente); Tasso Jereissati (48% e 5%, respectivamente); Luciana Genro (47% e 3%, respectivamente); Nelson Jobin (46% e 3%, respectivamente); Ayres Brito (44% e 2%, respectivamente); Deltan Dallagnol (42% e 13%, respectivamente) e Cármen Lúcia (39% e 29% respectivamente).

Leia mais sobre Política no Blog do Maurício Araya:

E você? Qual sua opinião sobre a Operação Lava-Jato? Deve continuar? Deixe seu comentário!

80% dos brasileiros não conseguem manter alimentação regrada em meio à rotina corrida

Publicado em

Conseguir administrar todos os compromissos, gerenciar o estresse e ainda ter saúde e qualidade de vida é desejo de grande parte dos brasileiros. Dados da pesquisa Barreiras para uma Vida Saudável, realizada on-line pelo Ibope Conecta em parceria com Centrum Vitamints, apontam que, apesar de mais de 80% não ter uma alimentação regrada, 95% dos entrevistados estão dispostos a mudar pequenos hábitos em sua rotina para ser mais saudáveis; no entanto, 1/3 acha difícil conseguir.

A pesquisa – que entrevistou mil homens e mulheres com idade entre 25 e 50 anos, das classes A e B, em todo o Brasil, com margem de erro é de quatro pontos percentuais e 95% de confiança – foi elaborada com o intuito de entender o estilo de vida dos brasileiros, especialmente com relação à alimentação, e avaliar a predisposição das pessoas às mudanças de hábitos para terem mais saúde e bem-estar.

Segundo os resultados obtidos, dois em cada três brasileiros, afirmam ter dias agitados ou desregrados. Quando questionados sobre como é a sua alimentação nestes dias, 77% dizem que buscam alimentos rápidos e práticos, destes 44% consomem o que estiver disponível e apenas 33% afirmam se preocupar em comer frutas, verduras e legumes.

Mas nem sempre os alimentos são escolhidos para uma alimentação correta, como explica a nutricionista Andrea Forlenza:

Ao procurarem alimentos rápidos, as pessoas nem sempre escolhem de forma correta o que vão comer. Um exemplo disso é quando chegam a um restaurante e pedem o que já está pronto e disponível no balcão, como um salgado, achando que esta é a opção mais rápida. Se elas gastarem um minuto a mais para olhar o cardápio, verão que há opções mais saudáveis que também podem ser rápidas

62% dos entrevistados manifestaram desejo de incluir mais frutas e verduras na alimentação
62% dos entrevistados manifestaram desejo de incluir mais frutas e verduras na alimentação

Quando perguntados sobre quais atitudes mudariam no dia a dia para ter mais saúde e bem estar, em primeiro lugar, 72% dos entrevistados afirmam que gostariam de fazer mais exercícios e, em segundo, 62% dizem que incluiriam mais frutas e verduras na alimentação.

Grande parte das pessoas tem dias muito atribulados e não consegue manter uma alimentação regrada o tempo todo. Neste contexto, pequenas mudanças na rotina podem impactar positivamente a saúde destas pessoas

Dormir melhor aparece em terceiro lugar, com 50% das respostas.

De acordo com a nutricionista, os grandes obstáculos para adquirir hábitos saudáveis são as metas inatingíveis.

É comum os pacientes chegarem para a consulta com ideias radicais de mudanças na alimentação ou prática de exercícios que não são reais e, quando percebem que não irão cumpri-las, acabam se frustrando e desistindo

Manter alimentação regrada é possível com pequenas mudanças

Fazer pequenas mudanças na rotina diária pode ser o caminho para uma efetiva melhora na qualidade de vida, reforça a nutricionista.

Levar para o lanche frutas fáceis de consumir, como banana, maçã ou pera; incluir pelo menos uma verdura, legume ou fruta nas principais refeições; ou ainda substituir refrigerantes por sucos naturais são atitudes simples que podem auxiliar neste processo de reeducação

Toda pequena atitude saudável conta. “Uma mudança simples e prática que também pode complementar a alimentação e equilibrar as quantidades de vitaminas e minerais necessárias para o bom funcionamento do organismo é o uso de multivitamínicos”, completa Andrea Forlenza.

Equilibrar as quantidades de vitaminas e minerais é chave para alimentação regrada
Equilibrar as quantidades de vitaminas e minerais é chave para alimentação regrada

Para atender as necessidades de quem quer manter hábitos saudáveis em meio à correria da vida moderna, a marca, que realizou a pesquisa, desenvolveu um novo multivitamínico em formato de pastilhas mastigáveis, que pode ser consumido em qualquer lugar, sem água, que complementa as doses diárias de vitaminas e minerais e auxilia no aproveitamento da energia, na imunidade e possui ação antioxidante.

Segundo a marca, o produto contribui para a imunidade, pois traz a vitamina C, que ajuda na manutenção das defesas do organismo; possui vitaminas do complexo B, essenciais para o funcionamento celular e produção de energia; e tem também ação antioxidante, pois as vitaminas C e E, o manganês e o selênio ajudam a proteger as células da ação dos radicais livres.

Nordeste ainda é queridinho dos turistas brasileiros

Publicado em

Mesmo com o país atravessando um período desafiador, é grande o interesse dos brasileiros viajar nos próximos meses, e segundo uma pesquisa do Ministério do Turismo (MTur), a maior parte desses turistas escolheu um destino nacional. O índice atingiu 73,3%, o maior registrado para o mês nos últimos cinco anos. Para o levantamento, o MTur ouviu duas mil pessoas em sete capitais brasileiras que representam 70% do fluxo turístico do país.

O Sudeste cresceu na preferência dos entrevistados pelo segundo ano consecutivo: estima-se que 29,5% dos brasileiros tenham escolhido um destino da região mais populosa do país para os próximos seis meses. Em comparação com o mês de julho de 2014, houve um crescimento de 35,3%. Mas é o Nordeste que ainda aparece como a região preferida pelos brasileiros para o turismo nacional (43,5%).

O boletim também revelou uma elevação considerável de intenção de viagem por destinos brasileiros entre os jovens com menos de 35 anos: a maioria (73,3%) tem preferência por destinos turísticos nacionais. Em comparação com o igual período de 2014, houve alta de 38,5%.

Turismo tech: uso de smartphones em viagens

Publicado em

Uma pesquisa do TripAdvisor – feita com 44 mil turistas e representantes do setor hoteleiro – divulgada neste mês de julho mostra que o smartphone é uma ferramenta cada vez mais usada pelos viajantes em todo o mundo, e revela que 59% dos brasileiros são classificados como “viajantes conectados” – aqueles turistas que usam o aparelho para planejar ou reservar a viagem. O Brasil está atrás apenas da China e da Tailândia, ambos com 65%. Ainda segundo o levantamento, 45% dos viajantes conectados costumam usar o smartphone para reservar atrações, 72%, para procurar restaurantes enquanto estão de férias e 34% esperam que as acomodações ofereçam check-in via dispositivos móveis.

O estudo também mostra que 61% dos público que pretende visitar o Brasil nos próximos 12 meses pertence aos “viajantes conectados”; que 45% da categoria gostaria de usar aplicativos para fazer reservas enquanto estão viajando e 34% gostariam de fazer o check-in via dispositivo móvel, mas apenas 16% dos hoteleiros no mundo oferecem essa ferramenta.