Lençóis Jazz & Blues Festival 2017, em Barreirinhas, já tem data marcada

Publicado em

Em agosto, grandes nomes do jazz, do blues, do choro e de outros gêneros musicais do Brasil e do exterior vão brilhar no palco da 9ª edição do Lençóis Jazz & Blues Festival. Este ano, excepcionalmente, o festival realizará os circuitos Barreirinhas e São Luís em datas diferentes: de 11 a 13 de agosto, a programação do Lençóis Jazz & Blues Festival 2017 ocorre na porta de entrada dos Lençóis Maranhenses, a cidade de Barreirinhas; e, em setembro, em São Luís.

De 11 a 13 de agosto, programação ocorre na porta de entrada dos Lençóis Maranhenses
De 11 a 13 de agosto, programação ocorre na porta de entrada dos Lençóis Maranhenses

O circuito Barreirinhas será realizado às margens do belo Rio Preguiças, na Avenida Beira-Rio. São, ao todo, nove shows e duas oficinas de música, além de uma ampla e diversificada programação paralela.

A novidade de 2017 é a participação da DJ Vanessa Serra. A maranhense promete encantar o público, nos intervalos dos shows, com sequências inusitadas de músicas nacionais e internacionais pontuadas pela bossa nova, jazz e blues em uma discotecagem retrô e 100% analógica.

A expectativa dos organizadores é de receber um grande público, já que em 2016 a plateia bateu recorde, como destaca Tutuca Viana, produtor do evento.

Eu atribuo o sucesso do evento a vários fatores. Entre eles, curadoria primorosa na seleção dos artistas, organização e a gratuidade. E assim, ano a ano, o evento contribui para a democratização do acesso a bens culturais tão importantes

O evento conta com os patrocínios da Companhia Energética do Maranhão (Cemar) e do Governo do Maranhão, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e apoios culturais do Serviço Social da Indústria (Sesi), Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Maranhão (Sebrae-MA), Prefeitura Municipal de Barreirinhas, Viluma Construtora, Tory Brindes, TV Mirante e TV UFMA.

Programação de shows do Lençóis Jazz & Blues Festival 2017

A sequência de shows será a seguinte:

Grupo maranhense Jazzencontros abre programação do festival, na sexta-feira
Grupo maranhense Jazzencontros abre programação do festival, na sexta-feira

11 de agosto (sexta-feira)
20h – Jazzencontros (MA)
21h15 – Roda Gingante: Arismar do Espírito Santo, Bebê Kramer, Gabriel Grossi e Sérgio Coelho (SP)
22h30 – Ama Thomas e trio (Estados Unidos)

Arismar do Espírito Santo é uma das atrações do Lençóis Jazz & Blues Festival 2017
Arismar do Espírito Santo é uma das atrações do Lençóis Jazz & Blues Festival 2017

12 de agosto (sábado)
20h – Mauro Sergio e banda (MA)
21h15 – Zé Renato e Renato Braz (RJ/SP)
22h30 – Annika Chambers (Estados Unidos)

Atrações do Rio de Janeiro, Eduardo Neves e Rogério Caetano são destaque do último dia do festival em Barreirinhas
Atrações do Rio de Janeiro, Eduardo Neves e Rogério Caetano são destaque do último dia do festival em Barreirinhas

13 de agosto (domingo)
20h – Eduardo Neves e Rogério Caetano (RJ)
21h15 – Cristovão Bastos e trio (RJ)
22h30 – Sandra Duailibe e quarteto (MA)

Programação paralela

Este ano, a programação paralela está mais ampla e diversificada. Para valorizar os produtos e a cultura maranhense, serão realizadas a Feirinha Gourmet, com pratos da gastronomia maranhense e outros quitutes; a Feirinha de Artesanato, com produtos regionais, entre outros; e exposições culturais de artistas regionais, durante os dias do festival, a partir das 16h, na Praça do Trabalhador (ao lado do palco do festival).

As oficinas serão realizadas em dois endereços distintos. Na manhã de sexta-feira (11), a americana Alma Thomas ministra a Oficina de Canto, das 10h às 12h, no auditório do Sebrae (Rua Conrado Ataíde, S/N, Centro, Barreirinhas). No sábado (12), será a vez dos músicos Zé Renato e Renato Braz ministrarem a Oficina de Voz e Percussão, das 10h às 12h, no Salão Paroquial da Igreja Nossa Senhora da Conceição (Igreja Matriz), na Praça do Coreto, no centro de Barreirinhas.

Os interessados em participar devem comparecer ao local das oficinas com 30 minutos de antecedência para fazer o credenciamento, que dará direito a uma senha de acesso à oficina.

Já para quem gosta de curtir uma madrugada musical, não vão faltar as tradicionais jam sessions, encontros que vão rolar após os shows oficiais do festival no Bar Terraço Gourmet, na praça da Igreja Nossa Senhora da Conceição (Igreja Matriz).

Não dá para perder.

Mistura de ritmos marca São José de Ribamar Jazz e Blues Festival

Publicado em

“Vamos voltar para o Rio com a alma renovada”, comentou o músico Jefferson Gonçalves ao público da terceira edição do São José de Ribamar Jazz e Blues Festival, durante o encerramento da primeira noite de evento, na última sexta-feira (4). A frase, que serviu como um agradecimento do artista ao público, representa o contentamento geral dos artistas que se apresentaram no primeiro dia de shows do festival, realizado na Praça da Basílica, no Centro da cidade balneária.

Misturando blues com referências do folk, pitadas de baião e momentos bem roqueiros, a dupla Jefferson Gonçalves e Kleber Dias abrilhantaram a noite em Ribamar. Com clássicos como ‘All Along Watchtower’, ‘Crossroads’ e ‘Shame, Shame, Shame’, os músicos foram além das canções: colocaram o público para dançar, pular e se jogar ao ritmo da música. Para Jefferson, esta entrega é a parte principal da conquista que o festival tem na cidade.

Ver que este festival está na terceira edição, com uma estrutura muito boa, é nota 10. (…) É essencial formar uma nova plateia. Acho muito importante. Principalmente com essa filosofia de ser aberto ao público. A integração da plateia, dos músicos de fora com os músicos locais , tudo isso é muito importante para as nossas experiências
Jefferson Gonçalves, músico

Segundo Kleber, a recepção do público foi marcante: “foi maravilhoso. Público muito receptivo. Fluiu tudo muito tranquilo. Foi tudo muito para cima. Espero voltar todo ano”, brincou o músico.

A recepção da cidade aos artistas, também, foi elogiada pela cantora mineira Ceumar. “Achei muito especial. Público muito carinhoso, atento. A variedade de bandas, de estilos. Ver essa passeada pelos estilos musicais foi muito interessante”, disse a artista.

Com o pé na MPB, a cantora mineira recebeu vários elogios em sua passagem pelo festival. Ganhando coros em ‘Cantiga’, ‘Dindinha’ e ‘Turbilhão’, Ceumar rompeu o ciclo de saudade com os fãs maranhenses – a última passagem da artista no Maranhão ocorreu em 2010, em São Luís.

Marcus Lussaray e Bruna Marcelly, sua filha
Marcus Lussaray e Bruna Marcelly,
sua filha (Foto: Divulgação)

Abrindo as apresentações da primeira edição do festival, Marcus Lussaray e banda fizeram um belíssimo show musical, indo do instrumental à marcantes regravações. Depois de conquistar a plateia com versões de Miles Davis (‘Tune Up’) e Mike Stern (‘Tipatina’s’), um grande momento do festival veio logo na primeira hora de evento: o guitarrista maranhense chamou a filha, Bruna Marcelly, para dividir os vocais em duas faixas.

Com voz calma e cheia de leveza, Bruna arrancou aplausos do público assim que cantou os primeiros versos. Para Marcus, dividir o show com a filha tem um gosto mais que especial. “Eu estou super emocionado com a interação do público. E estar com a minha própria filha, vendo ela emocionando todo mundo, para mim, foi tudo inesquecível”, revelou o guitarrista.

Marcus Lussaray e quarteto
Marcus Lussaray e quarteto (Foto: Divulgação)

Neuzimar Mandu, escritora de São José de Ribamar, comentou sobre a gratidão em poder assistir mais uma edição do evento – e, de quebra, levar a irmã para o conhecer os estilos que tanto gosta. “Este festival é muito importante, pois traz um resgate da música como importante valor para a cidade e para a cultura local”, afirmou Neuzimar.

Em noite de fortes emoções musicais, Taryn Szpilman encanta no São José de Ribamar Jazz e Blues Festival

Encanto: esta é apenas uma das palavras que representam o que rolou no segundo dia de apresentações do São José de Ribamar Jazz e Blues Festival. O encanto das misturas musicais, das parcerias em cima do palco, dos ritmos em sintonia. Foi difícil encontrar alguém que não saiu encantado da praça.

Uma das responsáveis por este ‘encantamento’ foi a cantora Taryn Szpilman, que encerrou em grande estilo a segunda noite de atrações. Depois de passar pelo circuito Barreirinhas e São Luís nos últimos anos, a diva carioca trouxe um gostinho especial para o público de São José de Ribamar: a apresentação do espetáculo ‘Nouveau Vintage Café’, inédito em terras maranhenses.

Taryn Szpilman e seu esposo
Taryn Szpilman e seu esposo (Foto: Divulgação)

Com uma apresentação recheada de temas clássicos do jazz, do blues, do soul e do rock clássico, Taryn homenageou artistas revolucionários que brilharam entre as décadas de 40 e 70. De Billie Holiday à Ray Charles, passando ainda por Led Zeppelin, a carioca conquistou a plateia durante todo o show – principalmente em ‘Livre Estou’, canção que é tema da premiada animação ‘Frozen – Uma aventura congelante’, sempre pedida pelo fãs e que cativou o público da cidade.

“É um prazer imenso participar de mais um show no Maranhão. E o público daqui é bastante especial, pois ele tem um imenso carinho por mim. Conheço pessoas daqui há vários anos”, elogiou Taryn sobre o Maranhão. “As pessoas que comparecem aos meus shows neste Estado [do Maranhão] são um combustível para seguir em frente. É um público que eu conquistei e que acompanha a minha carreira. É maravilhoso”, acrescentou.

Antes da carioca, quem passou pelo palco do festival foi a dupla Thiago e Arismar do Espírito Santo, diretamente de São Paulo. Apostando no repertório instrumental e nos improvisos em cima do palco, a dupla, formada por pai e filho, deram à cidade um encontro inusitado entre duas gerações musicais. “Foi muito aconchegante estar nesta cidade. O carinho e o respeito que as pessoas tiveram pela nossa apresentação nos deixou muito feliz”, comemorou Thiago. Para ele, a presença de festivais como este, em várias partes do mundo, são o combustível necessário para incluir música diariamente no cotidiano. “Ver centenas de pessoas curtindo uma música autoral, desconhecida, de forma gratuita, é gratificante”, reforçou.

A aposta na música autoral, inclusive, foi o ponto alto da apresentação de Anna Claudia, na segunda da noite. Mesclando sucessos da carreira com o seu trabalho mais recente, intitulado ‘Bons Ventos”, a cantora também encantou a cidade com o seu timbre de voz delicado e poderoso.

“Minha estreia no festival foi mágica. Ver a comunidade integrada com a música ajuda a ampliar o conhecimento musical das pessoas”, disse Anna Claudia. No repertório, se destacaram faixas como ‘Vai’, ‘Retrato Branco e Preto’, ‘Dona Maria’ e as acústicas ‘Foi Assim’ e ‘Menininha do Portão’.

A noite do segundo dia de shows foi aberta com a apresentação especial da Orquestra Filarmônica de Sopros Sesc Musicar, que entregou um repertório bastante diversificado. De Tim Maia à trilha sonora de ‘Star Wars’, passando também pela homenagem à Ilha de São Luís com ‘Ilha Bela’, a orquestra, liderada pelo regente Jairo Moraes, deu o tom da noite de encanto logo nos primeiros minutos. “Poder trazer estes alunos para se apresentar na praça e ver eles se comunicando, através da música, com o público é o que me motiva a fazer cada nova apresentação”, revelou o regente.

Orquestra Sesc no São José de Ribamar Jazz e Blues Festival
Orquestra Sesc no São José de Ribamar Jazz e Blues Festival (Foto: Divulgação)

Sobre a parceria do Sesc com o São José de Ribamar Jazz e Blues Festival, a coordenadora de Cultura do Sesc, Izonete Almeida, disse que ver a comunidade acolhida pelo evento só reforça a necessidade da parceria. “Divulgar os artistas locais e dar esta oportunidade para a cidade ter conhecimento de outros estilos de música é fundamental”, analisou.

Para a estudante Karol Garcês, moradora de São José de Ribamar, o festival conseguiu garantir uma importância vital para o aquecimento da cultura local. “Ver estilos como o jazz e blues animando a cidade é algo extremamente importante. Chegar à terceira edição é uma prova de que o festival está crescendo e, principalmente, que tem espaço”, concluiu.

Socorro Araújo, secretária municipal de Turismo de São Luís, reforça que tanto o jazz quanto o blues tem morada garantida tanto em São Luís quanto São José de Ribamar. “Estas formas [do festival] é que levantam os moradores a se fortalecerem culturalmente em várias cidades do Estado”, comentou.

Feira, food bikes e Impressão do Silêncio

Na edição de 2016, o público contou com duas novidades. Uma delas foi a presença de oito food bikes instaladas na Praça da Basílica. Com ofertas de pizza, brownie, brigadeiros, tortinhas, saladas de frutas e até um empório sobre duas rodas, entre outras opções, a associação, comandada por Juliana Frota, trouxe um atrativo diferenciado para quem curtia o festival. “Fazer parte da programação é bastante especial. As comidas, a paisagem da cidade e a música fazem uma combinação perfeita”, comentou Juliana.

São José de Ribamar Jazz e Blues Festival teve também feirinha de artesanato
São José de Ribamar Jazz e Blues Festival teve também feirinha de artesanato (Foto: Divulgação)

Outra novidade foi a primeira feirinha “Acordes” de artesanato, organizada pelas artesãs da associação ENgrenARTES. Com o objetivo de fomentar pequenos negócios e gerar renda na comunidade, a feira montou vários stands na Praça da Basílica, priorizando a venda de bijuterias, artigos de azulejaria e objetos de decoração, entre outros itens.

Para Mariana Nascimento, uma das organizadoras da feira, ver a cultura interagindo, do artesanato à música, por exemplo, é uma prova de que há espaço para a integração entre vários formatos de arte. “É uma oportunidade que temos de agregar o valor do artesanato com o valor cultural da cidade e do festival”, analisou.

Grupo de fotografia Impressao do Silêncio no São José de Ribamar Jazz e Blues Festival
Grupo de fotografia Impressao do Silêncio no São José de Ribamar Jazz e Blues Festival (Foto: Divulgação)

Uma participação surpresa na programação do festival foi o projeto ‘Impressão do Silêncio’, da fotógrafa Veruska Oliveira, que levou 15 jovens surdos que desenvolvem um trabalho de iniciação no mundo da fotografia para registrar o evento de vários ângulos. “A ideia é incluir estes jovens na música e aproveitar o evento como um método de aprendizagem fotográfica e musical”, revelou Veruska.

Empresas patrocinadoras e apoiadores

O São José de Ribamar Jazz e Blues Festival, uma realização da Tutuca Viana Produções, conta com os patrocínios da Vivo, por meio da Plataforma Vivo Transforma – que promove a democratização do acesso à cultura e o envolvimento das comunidades em iniciativas voltadas, principalmente, à música – e do governo do Maranhão, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e ao Esporte; e os apoios culturais da Prefeitura Municipal de São José de Ribamar, Sesc, Sebrae, Clara Comunicação, Tory Brindes, Taguatur Turismo, TV UFMA, TV Mirante e Grand São Luís Hotel.

Com informações da assessoria de comunicação.

Lençóis Jazz e Blues Festival

Publicado em

Uma noite memorável: essa é a lembrança do lançamento da 8ª edição do Lençóis Jazz e Blues Festival no palco do Teatro Arthur Azevedo (TAA), em São Luís. Em um dos teatros mais antigos e belos do país, Babi Mendes (SP) e Tássia Campos (SP) cantaram e encantaram o público que ocupou todos os 756 lugares do teatro. E deram o tom da edição de 2016 que vai presentear Barreirinhas e São Luís com o melhor do universo do jazz e do blues, no mês de agosto. O evento realizado pela Tutuca Viana Produções com os patrocínios da Vivo, por meio da plataforma Vivo Transforma, da Companhia Energética do Maranhão (Cemar) e do Governo do Maranhão por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura vai apresentar 17 shows, além de oficinas, palestras e jams sessions.

Leia também:

Tássia Campos, que se apresentou com o pianista Rui Mário, abriu a noite misturando ritmos brasileiros com sua inspiração em grandes nomes da música mundial. A cantora Billie Holiday, por exemplo, “deu as caras” em vários momentos do show, mas foi com a cantora maranhense, dona de uma voz suave e delicada, que a diva do jazz foi apresentada, com os versos de Speak Low.

Tássia Campos em apresentação no Lençóis Jazz e Blues Festival (Foto: Divulgação)
Tássia Campos em apresentação no Lençóis Jazz e Blues Festival (Foto: Divulgação)

Ela apresentou ainda um show vintage jazz, que impressionou todo o teatro, levando o público para o ritmo musical característico das décadas de 40, 50 e 60. Da inspiração no jazz norte-americano ao ritmo marcante brasileiro, outros grandes momentos foram interpretados no palco, como a versão sublime de Ladeira da Preguiça, de Elis Regina.

Para mim, o mais importante da música é que ela seja acessível e democrática, que ela alcance o maior número de pessoas possível
Tássia Campos

Com a promessa de mostrar ao público de São Luís grandes clássicos do jazz e do blues, Babi Mendes (SP), que se apresentou com o músico Marcelo Carvalho ao piano e na direção musical, o baterista Ronald Nascimento, o guitarra Israel Dantas, o tecladista Renato Serra e o baixista Nema Antunes (que integra a banda do Ivan Lins), garantiu uma noite de nostalgia e de diversas homenagens no palco do TAA.

Babi Mendes em apresentação no Lençóis Jazz e Blues Festival (Foto: Divulgação)
Babi Mendes em apresentação no Lençóis Jazz e Blues Festival (Foto: Divulgação)

A primeira delas veio logo no início da apresentação, com uma versão impressionante de Saint Louis Blues, de Louis Armstrong – que a cantora escolheu para homenagear São Luís (que, em tradução livre de Saint Louis Blues, fica Blues de São Luís). As homenagens a Louis Armstrong não pararam por aí. Babi Mendes provou que sabe montar um bom repertório e agradar ao público, que recebeu com coros e palmas a versão da paulista para a faixa I Gotta Right To Sing The Blues, também de Armstrong.

Acompanhada pelo quinteto de excelente sincronia, Babi Mendes também apresentou canções marcantes do disco autoral Short Stories, lançando no Brasil, Japão, Estados Unidos e Reino Unido, além de clássicos da cantora Billie Holiday.

Foi uma alegria imensa. Foi maravilhoso. Uma experiência muito boa. Esse festival é maravilhoso e importante para as pessoas, para o estado porque já colocou o Maranhão no circuito nacional de jazz e blues
Babi Mendes

Um dos idealizadores do projeto e organizador do festival, Tutuca Viana, revelou que a expectativa é muito boa para edição deste ano.

Estamos com uma equipe muito unida e com patrocinadores satisfeitos. E isso é muito importante. Para esse ano teremos 17 shows, com atrações nacionais e internacionais. Todo mundo quer estar no festival para conferir o melhor da música
Tutuca Viana, idealizador do Lençóis Jazz e Blues Festival

Daniele Castro Jansen, moradora e administradora da organização não governamental Pouso Obras Sociais, comentou sobre a parceria com o festival que doou para a entidade cerca de 300 kg de leite em pó trocados por ingressos para o evento de lançamento.

Para a gente, foi uma honra termos sido escolhidos. Atualmente, o projeto trabalha com mais de 70 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade de bairros da periferia de São Luís
Daniele Castro Jansen, administradora da ONG Pouso Obras Sociais

Circuito Barreirinhas
O festival terá início na cidade balneária de Barreirinhas, porta de entrada dos Lençóis Maranhenses. Lá será realizado na avenida Beira-Rio, nos dias 5, 6 e 7 de agosto. Além dos shows, haverá uma programação paralela com oficinas, palestras e exposições de primeira qualidade.

Em 2016, a grande novidade na programação do circuito Barreirinhas é a integração entre os mundos da música e o da fotografia. A exposição fotográfica “Música no Olhar” será realizada durante todos os dias do festival em Barreirinhas, de 5 a 7 de agosto, na Praça do Trabalhador. Uma realização do Clube de Fotografia Poesia do Olhar que terá a música como inspiração.

E para quem gosta de dar aquela esticadinha, não vão faltar as tradicionais Jams Sessions – encontros musicais que são realizados após os shows oficiais do Lençóis Jazz & Blues Festival. Elas ocorrerão todos os dias do festival em Barreirinhas, no Bar Terraço Gourmet (antigo Deck Bistrô), na praça da Igreja Nossa Senhora da Conceição (Igreja Matriz).

Circuito São Luís
Na capital maranhense, a praça Maria Aragão volta a servir de palco para o festival, recebendo seis grandes atrações, entre os dias 12 e 13 de agosto. Assim como no Circuito Barreirinhas, São Luís também receberá as oficinas, palestras e exposições.

Lençóis Jazz e Blues Festival
O 8º Lençóis Jazz e Blues Festival conta com os patrocínios da Companhia Energética do Maranhão (Cemar), da Vivo, por meio da Plataforma Vivo Transforma e do governo do Maranhão via Lei Estadual de Incentivo à Cultura e ao Esporte e os apoios culturais das Secretarias de Estado de Turismo e de Cultura do Maranhão, das Prefeituras Municipais de Barreirinhas e de São Luís, Sistema Fiema/Sesi, Sebrae, Tory Brindes, Clara Comunicação, Taguatur, TV Mirante, TV UFMA, Cantinho Doce, Escola Lilah Lisboa, Rota das Trilhas, Foto Clube Poesia no Olhar, além das parcerias das Pousadas Murici, Paraíso dos Lençóis, Solar das Gaivotas, do Riacho, Pousada Paraíso dos Guarás, Pousada do Rio, Pousada Buriti, Pousada Beira Rio, Pousada Lins, do Gran Solare Lençóis Resort e dos restaurantes Terraço Gourmet e Zaitun.

Estima-se que cerca de 56 mil espectadores já tenham participado do Lençóis Jazz e Blues Festival, que ao longo de sua história, criou mais de 150 empregos diretos e indiretos para músicos, cantores, técnicos de luz, de som, produtores, diretores de palco, fotógrafos, jornalistas e oficineiros. A expectativa dos organizadores para 2016 é de que o público do festival seja de cerca de 16 mil pessoas.

Veja a programação completa de shows do Lençóis Jazz e Blues Festival:

5 de agosto (sexta-feira) - Circuito Barreirinhas
6 de agosto (sábado) - Circuito Barreirinhas
7 de agosto (domingo) - Circuito Barreirinhas
11 de agosto (quinta-feira) - Circuito São Luís
12 de agosto (sexta-feira) - Circuito São Luís
13 de agosto (sábado) - Circuito São Luís

Lençóis Jazz e Blues Festival

Publicado em

Ocorre nesta quarta-feira (6) a troca de ingressos para os interessados em prestigiar o evento de lançamento da 8ª edição do Lençóis Jazz e Blues Festival, que ocorre no próximo dia 14 de julho no Teatro Arthur Azevedo, em São Luís (MA). Os ingressos podem ser trocados por um pacote de leite em pó na bilheteria do teatro, localizado na rua do Sol, S/N, Centro, das 14h às 18h. A troca pode ser feita ainda no dia do lançamento.

O evento de lançamento do festival ocorre a partir das 20h, em que as datas dos circuitos Barreirinhas e São Luís serão divulgadas, assim como programação completa do evento, com shows, oficinas de música e de fotografia e as ações paralelas.

Leia também:

A noite de lançamento será embalada pelas cantoras Tássia Campos, do Maranhão – cantora e musicista maranhense que fincou nome na cena artística do Estado a partir da sua relação com a multiplicidade musical efervescente que toca o mundo –; e Babi Mendes, direto de São Paulo – que canta profissionalmente desde 2006 e possui canções autorais em inglês, onde ela explora os universos do jazz, blues e da bossa nova.

Todo o leite arrecadado será doado para a Pouso Obras Sociais, instituição filantrópica que presta assistência social a crianças, jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social por meio de programas e ações gratuitas nas áreas de saúde, educação e segurança alimentar, voltados à promoção do desenvolvimento humano e ao combate à pobreza.

Festival
Em 2016, serão 17 shows gratuitos de artistas nacionais e internacionais, entre eles o de Paulinho Moska e do saxofonista francês Baptiste Herbin; seis oficinas; exposições fotográficas; além da palestra ‘Políticas Públicas do Ministério da Cultura’, ministrada por Yuri Sampaio Cartellato Logrado.

O Lençóis Jazz e Blues Festival é patrocinado pela Companhia Energética do Maranhão (Cemar), Telefônica/Vivo e Governo do Maranhão, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e ao Esporte; e conta com o apoio cultural da Ômega Energia, Fiema/Sesi, Sebrae-MA, Tory Brindes, Clara Comunicação, Taguatur, TV Mirante, TV UFMA, Cantinho Doce, Escola Lilah Lisboa, Rota das Trilhas, Foto Clube Poesia no Olhar, além das parcerias das Pousadas Murici, Paraíso dos Lençóis, Solar das Gaivotas, do Riacho, Pousada Paraíso dos Guarás, Pousada do Rio, Pousada Buriti, Pousada Beira Rio, Pousada Lins, Gran Solare Lençóis Resort e restaurantes Terraço Gourmet e Zaitun.