Ciberataque: uma ameaça silenciosa

Publicado em

Nessa terça-feira (27), empresas e instituições públicas de diversos países do mundo foram alvos, novamente, de um ciberataque de grande escala. O vírus Petrwrap paralisou operações em todo o mundo. Na Ucrânia, até as comunicações do governo foram afetadas.

No Brasil, 42 milhões de usuários foram alvos de ciberataques em 2016
No Brasil, 42 milhões de usuários foram alvos de ciberataques em 2016

Mas se você acha que está distante do perigo, pode estar enganado. Você sabia que o Brasil é um dos países mais vulneráveis em segurança cibernética nas empresas? Pelo menos 42 milhões de usuários brasileiros foram alvos de ciberataque em 2016. O prejuízo é calculado em mais de US$ 10 bilhões.

Rodrigo Milo, diretor da área de segurança cibernética da KPMG – rede global do setor de auditoria, impostos e consultoria empresarial presente em 155 países, e, no Brasil, em 13 Estados e Distrito Federal – discorre sobre os riscos desses ciberataques para as empresas e usuários em um artigo, compartilhado pelo Blog do Maurício Araya:

O Brasil é um dos países mais vulneráveis quando o assunto é segurança cibernética nas empresas. Segundo dados da Symantec, mais de 42 milhões de usuários brasileiros foram afetados pelo cibercrime no ano passado, o que gerou um prejuízo financeiro de mais de 10 bilhões de dólares. Com o aumento do número de ataque de forma vertiginosa, também cresce na mesma proporção a preocupação dos presidentes das empresas com a questão de segurança cibernética.

Ainda de acordo com a Mandianta Fire Eye Company, as indústrias mais vulneráveis são, seguindo a ordem de maior vulnerabilidade, tecnologia, serviços profissionais, mídia e entretenimento. Nesse contexto, a indústria de energia ainda encontra-se em posição confortável, se analisarmos de forma isolada. Entretanto, considerando que, na sua cadeia de valor, parceiros e fornecedores são alvos relevantes, o impacto em ameaças cibernéticas se torna um tema importante.

Adicionalmente, as últimas pesquisas realizadas sobre o aumento de vulnerabilidade em ativos críticos na operação da indústria de energia revelam que nos últimos quatro anos a quantidade de vulnerabilidades aumentou em 110%, demonstrando a necessidade de preocupação sobre o tema.

São ataques que acontecem de forma sorrateira, mas que têm grande impacto nos negócios e são capazes de paralisar as atividades de uma companhia inteira. Pelo fato de acontecer de forma silenciosa, a identificação é mais demorada. Geralmente, são ameaças às empresas que têm alto índice de tecnologia na operação e que têm grande impacto no funcionamento. Envolvem desde a infecção do sistema por vírus, vazamento de informações confidenciais, estratégicas e privilegiadas, até espionagem que pode envolver questões regulatórias como a realização de leilões e venda de ativos e patentes. O ciberataque também pode afetar o monitoramento de fluxos feito por softwares, causar pane nos sistemas dos dutos de óleo e gás, carregamento de navios e vagões de minério de ferro, ou em qualquer ambiente produtivo com tecnologia envolvida.

Para evitar ser alvo de ciberataques, é preciso investir em segurança digital
Para evitar ser alvo de ciberataques, é preciso investir em segurança digital

Nesses setores em questão, os danos com os ataques podem ser irreparáveis e vão desde prejuízos financeiros que podem atingir cifras milionárias até danos à imagem e à credibilidade, que são os principais ativos das empresas. De forma geral, os impactos no negócio podem incluir perdas de vantagem competitiva no acesso a novos mercados, de negócios e disputas, multas regulatórias, quedas de preços de ações e cobertura negativa pela mídia.

Vale lembrar que, em muitos casos, a origem da invasão não vem das grandes petrolíferas e mineradoras, já que elas possuem um sistema robusto de proteção de dados das empresas, mas sim de terceiros, clientes, fornecedores, consumidores, prestadores de serviços e parceiros. Essa interferência externa pode funcionar como uma porta de entrada para a exploração de vulnerabilidades dentro das empresas. E as motivações dos hackers podem ser inúmeras, desde ideológica até financeira, sendo um dos mais comuns atualmente o ransomware, tipo de malware que serve para sequestrar dados, através de criptografia dos mesmos, com posterior cobrança de resgate.

A verdade é que o aumento de ataques em ambientes de operação dessas indústrias vem crescendo de forma relevante e os níveis de controles necessitam serem elevados, para prevenção e monitoramento na mesma proporção. Por outro lado, com o constante avanço tecnológico, os hackers e grupos de crime organizado têm atuado de forma cada vez mais sofisticada. Trata-se de uma guerra invisível e constante para proteger os ativos críticos. O contexto da ameaça, os modelos de negócios, a tecnologia e as formas de trabalho estão em constante mutação e antigas estratégias para proteger informações, sistemas críticos e ambientes operacionais não são mais viáveis.

Cientistas descobrem ingrediente da vida em torno de estrelas-bebês do tipo solar

Publicado em

Imagine descobrir no amplo e frio Universo estrelas como o nosso Sol, em fase inicial de formação, com o ingrediente da vida, bem longe da Terra. Pois foi exatamente isso o que o telescópio matriz Atacama de largo milímetro/submillímetro (Alma, do inglês Atacama Large Millimeter/submillimeter Array) – o mais poderoso para observação do Universo frio –, fez.

Região de formação estelar Rho Ophiuchi na constelação de Ofiúco
Região de formação estelar Rho Ophiuchi na constelação de Ofiúco (Foto: ESO/Digitized Sky Survey 2/Agradecimento a: Davide De Martin)

É a primeira vez que os cientistas detectaram a molécula isocianato de metila – bloco constituinte de vida – em protoestrelas do tipo solar, isto é, estrelas do tipo da protoestrela que deu origem ao Sol e, consequentemente, ao nosso Sistema Solar.

Duas equipes de astrônomos utilizaram o Alma, instalado no Chile, para detectar a molécula orgânica complexa pré-biótica de isocianato de metila no sistema estelar múltiplo IRAS 16293-2422, um sistema múltiplo de estrelas muito jovens situado a, aproximadamente, 400 anos-luz de distância na enorme região de formação estelar Rho Ophiuchi, na constelação do Ofiúco, ou Serpentário.

Uma das equipes foi liderada por Rafael Martín-Doménech, do Centro de Astrobiología de Madrid, Espanha, e por Víctor M. Rivilla, do INAF-Osservatorio Astrofisico di Arcetri, Florença, Itália, e a outra foi liderada por Niels Ligterink do Observatório de Leiden, Holanda e por Audrey Coutens do University College London, Reino Unido, que explicam a descoberta.

Este sistema estelar não para de nos surpreender. Depois da descoberta dos açúcares, descobrimos agora isocianato de metila. Esta família de moléculas orgânicas está ligada à síntese de peptídeos e aminoácidos, os quais formam, sob a forma de proteínas, a base biológica da vida tal como a conhecemos

As capacidades do telescópio permitiram às duas equipes observar a molécula ao longo do espectro rádio, a vários comprimentos de onda diferentes e bem característicos.

As equipes descobriram as ‘impressões digitais’ químicas únicas desta molécula nas regiões internas densas do casulo de gás e poeira que rodeia as estrelas jovens nas suas fases mais iniciais de evolução.

Alma detecta isocianato de metilo em torno de estrelas jovens do tipo solar
Alma detecta isocianato de metilo em torno de estrelas jovens do tipo solar (Arte: ESO/Digitized Sky Survey 2/L. Calçada)

Cada equipe identificou e isolou as assinaturas da molécula orgânica complexa de isocianato de metila. Em seguida, fizeram modelos químicos de computador e experiências em laboratório com o intuito de compreender ao máximo a maneira como esta molécula se forma.

Os novos resultados mostram que gás de isocianato de metila rodeia cada uma das estrelas jovens.

Formação da vida

A Terra e os outros planetas do nosso Sistema Solar formaram-se a partir de material que restou da formação do Sol. O estudo de protoestrelas do tipo solar pode, por isso, abrir aos astrônomos uma janela para o passado, permitindo-lhes observar condições semelhantes àquelas que levaram à formação do nosso Sistema Solar há cerca de 4,5 bilhões de anos atrás.

Rafael Martín-Doménech e Víctor M. Rivilla, autores principais de um dos artigos científicos que descreve estes resultados, comentam.

Estamos particularmente entusiasmados com estes resultados porque estas protoestrelas são muito semelhantes ao Sol no início da sua vida, apresentando o tipo de condições propícias à formação de planetas do tamanho da Terra. Ao encontrarmos moléculas prebióticas, temos agora outra peça do quebra-cabeças que é compreender como é que a vida começou no nosso planeta

Niels Ligterink está muito contente com os resultados complementares de seguimento feitos em laboratório.

Além de detectarmos moléculas, queremos também compreender como é que elas se formam. As nossas experiências laboratoriais mostram que o isocianato de metila pode efetivamente formar-se em partículas geladas sob condições de frio extremo, semelhantes às encontradas no espaço interestelar, o que implica que esta molécula — e por conseguinte, a base das ligações dos peptídeos — tem efetivamente uma grande probabilidade de estar presente próximo da maioria das estrelas jovens do tipo solar

A descoberta, agora, pode ajudar os astrônomos a entenderem melhor a origem da vida na Terra.

55% dos pacientes estão dispostos a serem atendidos por robôs-médicos

Publicado em

O uso crescente de inteligência artificial e da robótica na medicina está mudando o panorama global dos serviços de saúde e o papel dos médicos: um estudo da PwC lançado mundialmente esta semana mostra que a maior parte dos entrevistados está disposta a receber cuidados de robôs-médicos, que podem ir de diagnósticos de doenças até cirurgias de pequeno porte.

Mais da metade dos pacientes entrevistados estão dispostos a serem atendidos por robôs-médicos, segundo estudo da PwC
Mais da metade dos pacientes entrevistados estão dispostos a serem atendidos por robôs-médicos, segundo estudo da PwC

O estudo What doctor? Why AI and robotics Will define New Health foi baseado em entrevistas com cerca de 11 mil pessoas de 12 países da Europa, África e Oriente Médio. Mais da metade dos participantes (55%) declararam estar dispostos a serem atendidas por robôs com inteligência artificial, capazes de responder dúvidas sobre saúde, realizar testes, diagnosticar doenças e recomendar tratamentos.

A pesquisa concluiu que as pessoas se mostraram mais propensas a experimentar os cuidados de robôs-médicos se isso significa que terão acesso a diagnósticos mais rápidos e precisos e a melhores tratamentos de saúde. O ‘toque humano’ continua sendo um componente crucial para os cuidados de saúde, mas a maior aceitação do uso de robôs-médicos indica um crescimento de confiança na tecnologia, como avalia a sócia da PwC Brasil e líder de Health Services, Eliane Kihara.

Assim como acontece em outras áreas, as pessoas estão cada vez mais abertas ao uso da tecnologia, e não será diferente no setor de saúde. O emprego de robôs e inteligência artificial pode ajudar a tornar tratamentos e diagnósticos mais acessíveis e eficazes, sobretudo em países ainda carentes de um sistema de saúde bem estruturado

Países emergentes mostraram-se mais abertos à substituição de cuidados humanos por robôs-médicos do que aqueles com economia desenvolvida. Enquanto 94% dos entrevistados na Nigéria e 85% na Turquia declararam estar propensos ao uso de robôs e inteligência artificial nos cuidados com a saúde, no Reino Unido somente 39% dos entrevistados mostraram a mesma inclinação e na Alemanha, apenas 41%.

De acordo com a pesquisa, cerca de 50% dos entrevistados em todo o mundo se mostraram inclinados a se submeter a uma cirurgia realizada por um robô em vez de um médico. Essa inclinação mostrou-se mais forte na Nigéria, Turquia e África do Sul, onde 73%, 66% e 62% dos entrevistados, respectivamente, se disseram mais propensos a realizar uma cirurgia de pequeno porte feita por robôs, enquanto no Reino Unido somente 36% das pessoas declararam que fariam esta cirurgia, o menor percentual entre os 12 países pesquisados.

Mesmo no caso de cirurgias mais complexas, verificou-se que boa parte dos participantes do estudo estariam dispostos a se submeter a procedimentos comandados por robôs-médicos: 69% dos entrevistados na Nigéria, 40% na Holanda e 27% no Reino Unido.

Entre as motivações que levariam as pessoas a confiar os cuidados com a saúde à inteligência artificial, foram citadas principalmente a chance de obter um acesso mais rápido e fácil a serviços de saúde (36%) e a velocidade e exatidão de diagnósticos (33%). Falta de confiança na capacidade de tomar decisão dos robôs-médicos (47%) e falta de contato humano (41%) foram as principais razões citadas por quem não está disposto a se submeter a tratamentos comandados por robôs-médicos.

Canadá cria ferramenta para estudantes

Publicado em

O governo do Canadá disponibilizou novas ferramentas on-line para auxiliar estudantes brasileiros e internacionais que querem estudar no país. O novo site, também disponível para celulares e em ambos os idiomas oficiais do país, reúne todas as informações necessárias para estudar no Canadá, incluindo bolsas, programas de estudo e os custos associados para todos os níveis de ensino (ensino médio, ensino superior e programas de idioma), bem como vistos e permissões para estudo.

Além do novo site, a Divisão de Educação Internacional do Ministério de Relações Exteriores, Comércio Internacional e Desenvolvimento do Canadá também lançou dois outros novos canais digitais: um canal no YouTube e uma galeria no Flickr.

Leia também:

As ferramentas fazem parte da nova estratégia do governo do país, um dos principais destinos de intercâmbio estudantil do mundo, com mais de 357 mil estudantes estrangeiros em programas com duração de mais de seis meses recebidos anualmente.

Nova rota liga Campinas a Lisboa

Publicado em

A companhia aérea Azul iniciou a venda de passagens e pacotes para seus voos sem escalas entre Campinas, no interior do Estado de São Paulo, e Lisboa. A mais nova operação da companhia – a primeira em solo europeu e a única ligação direta entre Brasil e Portugal operada por uma empresa brasileira – tem início em 22 de junho, inicialmente com três voos semanais.

LEIA TAMBÉM: GOL reduz operações no Maranhão
MAPA da aviação civil no Maranhão

Os voos serão feitos com aeronaves modelo Airbus A330, capazes de transportar até 272 passageiros e com novos interiores.

Novos interiores do A330 da companhia aérea Azul
Novos interiores do A330 da companhia aérea Azul (Foto: Divulgação/Azul)
Novos interiores do A330 da companhia aérea Azul
Novos interiores do A330 da companhia aérea Azul (Foto: Divulgação/Azul)

A conectividade é outro diferencial, segundo a companhia, já que os clientes que partem do Brasil terão à disposição para conexão mais de 80 destinos em 35 países servidos pela TAP Portugal.

Este importante passo que damos hoje é fruto de nosso planejamento estratégico e de malha, de modo a garantir a nossos Clientes as melhores opções para o exterior, levando os brasileiros para onde eles querem ir. Ainda, a estreia do voo reforçará São Paulo e Lisboa como portas de entrada continentais para quem viaja entre a América do Sul e a Europa, com sinergias entre a Azul e a TAP e seus maiores centros de conexões no Brasil e em Portugal Antonoaldo Neves, presidente da Azul

Falha do iOS 9.1

Publicado em

Uma falha na atualização 9.1, a mais recente, do sistema operacional iOS, da Apple, pode aumentar o consumo de dados móveis e deixar a conta de telefonia móvel mais cara para usuários. Uma configuração quase oculta passou despercebida e ativa a utilização dos dados quando há baixa conexão Wi-Fi. O defeito atinge os aparelhos iPhone, iPad e iPod Touch.

A boa notícia é que a opção pode ser desativada. Para isso, o usuário precisa acessar o Ajustes do aparelho; Celular e lá no fim desabilitar a caixa Assistência Wi-Fi.

Nos Estados Unidos, uma ação civil pública pede US$ 5 milhões de indenização pelos danos causados pela empresa aos usuários.

Seis dicas para aproveitar o outono na Califórnia

Publicado em

Com informações de assessoria

A paisagem da Califórnia (Estados Unidos) ganha um colorido especial no outono, enquanto as temperaturas continuam convidativas. Época boa para acompanhar a colheita em Napa Valley ou Sonoma, encarar as trilhas nos parque nacionais ou apenas relaxar em Los Angeles. Veja seis dicas imperdíveis:

Tranquilidade em Los Angeles: quase ninguém sabe, mas Los Angeles tem vários jardins que são verdadeiros oásis. O Descanso Gardens é um deles: são cinco hectares de rosas e outras flores, bem como uma casa de chá doada pela comunidade nipo-americana. Outro jardim secreto é o Kyoto Gardens, no última andar do hotel DoubleTree by Hilton Downtown, um lugar bem zen, com flores, árvores bonsai, cachoeiras e até uma ponte, de onde se abrem vistas deslumbrantes da cidade – e das montanhas de San Gabriel. Outra dica para aqueles em busca de um lugar sereno para sentar e ler, ou desfrutar de uma pausa durante o almoço: no jardim do Walt Disney Concert Hall você encontra um refúgio tranquilo bem no Centro da cidade;

Divulgação
Walt Disney Concert Hall. Foto: Divulgação

Yosemite, aventura e contemplação: para quem curte aventura, o Parque Nacional Yosemite é ótima opção no outono, época de baixa temporada, quando as reservas são menos disputadas e é possível explorar a região com mais tranquilidade. As árvores ganham um colorido em tons de dourado, amarelo e laranja. A temperatura durante o dia é agradável e perfeita para caminhadas pelas inúmeras trilhas do parque. São diversas opções de hospedagem, como o luxuoso e histórico hotel The Ahwahnee, o family-friendly Yosemite Lodge at the Falls, ou o estilo rústico e clássico de camping do Curry Village. Muitos visitantes se contentam em simplesmente sentar e apreciar a paisagem, mas outros preferem um agradável passeio de bicicleta no vale de Yosemite, uma maneira divertida de ver os picos de granito e o colorido da estação. Há aluguel de bicicletas disponíveis no Yosemite Lodge at the Falls;

Todas as cores da estação no Lake Tahoe: de setembro a novembro, as árvores do lado norte do lago se transformam e exibem impressionantes tons da estação. Para quem adora uma caminhada, em Page Meadowns há extensas trilhas com essa paisagem. Já os que buscam por água podem sair de Spooner Lake para chegar em Marlette Lake e vislumbrar as margens do lago rodeada de tons amarelo, laranja e vermelho, o lugar ideal para uma parada ou um almoço antes da caminhada de volta. Para uma recompensa imediata com vista panorâmica deslumbrante do maior lago alpino da América do Norte, opte por uma caminhada rápida de 15 minutos até Eagle Rock, ao Sul da cidade de Tahoe, perto de Blackwood Canyon;

Divulgação
Mammoth Lakes. Foto: Divulgação

As vistas espetaculares de Mammoth Lakes: antes de chegar, indica-se um passeio pela região de Eastern Sierra, no caminho de Mammoth Lakes, que hospeda diversos monumentos e parques nacionais. Uma vez em Mammoth Lakes, aproveite para curtir a paisagem que inclui cânions esculpidos pela forte correnteza e que se alastram pela região. Há diversas opções de trilhas para caminhada ou ciclismo, além de milhões de hectares de terras da Floresta Nacional para explorar. Barcos, pesca e cavalo são ótimas opções para curtir o lugar;

Tempo de colheita em Napa Valley e Sonoma County: o outono é um momento de muita cor e beleza na região de Napa e tudo começa quando a última das uvas é colhida. O fundo do vale fica coberto com uma folhagem amarela e vermelha e o aroma da fermentação das uvas deixa o ar perfumado. Aproveite a temporada para ver como os produtores de vinho pesquisam a safra para ter certeza de que fizeram a colheita no momento certo. Apesar de ser um destino atraente durante todo o ano, há uma magia especial em Napa Valley a cada outono.

Em Sonoma, os vinhedos mudam de verde para dourado e vermelho, um cenário perfeito para uma caminhada a pé ou de bicicleta. Conhecida como “Crush”, a época da colheita no Wine Country é um tempo mágico que resgata um processo de crescimento da região ao longo dos anos e acontece no fim do outono. As uvas são colhidas, esmagadas e armazenadas em tanques para iniciar o processo de fermentação. Eventos deliciosos como o Heirloom Tomato Festival e Sonoma Wine Country Weekend. O Russian River Jazz & Blues Festival aquece as noites descoladas enquanto Art Trails e Weekend Along Farm Trails são outros acontecimentos imperdíveis da temporada de outono.