O mundo inteiro voltou os olhos aos Estados Unidos nesta segunda-feira (21). Emissoras de televisão e redes sociais repercutiram bastante o eclipse solar de 21 de agosto: os norte-americanos tiveram uma rara oportunidade de observar o fenômeno – considerado, por alguns, o ‘eclipse do século’. A Lua encobriu totalmente o Sol, e sua sombra percorreu 14 Estados.

No Brasil, eclipse solar foi observado de forma parcial
No Brasil, eclipse solar foi observado de forma parcial (Foto: Maurício Araya)
Publicidade
Curta e compartilhe

Habitantes de países da América do Norte, América Central, Caribe, ao norte da América do Sul e oeste da Europa e África também puderam observar o eclipse do Sol, mas de forma parcial. No Brasil, moradores das regiões Norte e Nordeste foram os privilegiados.

Eclipse solar parcial em São Luís
Eclipse solar parcial em São Luís (Foto: Maurício Araya)

Em São Luís, um dos pontos de melhor observação do eclipse solar parcial, as condições do tempo permitiram a observação. A Lua começou a encobrir o Sol por volta das 16h (horário de Brasília), chegando ao seu ápice – cerca de 40% – pouco após as 17h10.

Eclipse solar parcial em São Luís
Eclipse solar parcial em São Luís (Foto: Maurício Araya)
Eclipse solar parcial em São Luís
Eclipse solar parcial em São Luís (Foto: Maurício Araya)
Até o pôr do sol, Lua encobriu parcialmente o Sol em São Luís
Até o pôr do sol, Lua encobriu parcialmente o Sol em São Luís (Foto: Maurício Araya)
Até o pôr do sol, Lua encobriu parcialmente o Sol em São Luís
Até o pôr do sol, Lua encobriu parcialmente o Sol em São Luís (Foto: Maurício Araya)
Para observar o andamento do eclipse em segurança, usei uma caixa de projeção
Para observar o andamento do eclipse em segurança, usei uma caixa de projeção (Foto: Maurício Araya)
Usando uma folha de papel com um furo, também é possível projetar o eclipse na parede, e acompanhar o fenômeno sem risco
Usando uma folha de papel com um furo, também é possível projetar o eclipse na parede, e acompanhar o fenômeno sem risco (Foto: Maurício Araya)

Com o tempo, eclipses solares totais vão se tornar menos frequentes

Em média, um eclipse solar total ocorre, aproximadamente a cada 18 meses em algum lugar da Terra, dependendo de um alinhamento perfeito entre Sol, Lua e Terra.

Geralmente, quando se fala em um eclipse, total ou parcial, nós damos maior importância ao Sol, mas é a Lua que também tem um papel fundamental no fenômeno. E é exatamente por isso que eventos espetaculares como os eclipses solares totais, em certo tempo, cessarão.

É que a Lua, em média, explicam os cientistas, distancia-se lentamente da Terra, a uma taxa de quatro centímetros por ano. Com o afastamento do satélite natural, seu tamanho aparente no céu será muito pequeno para cobrir o Sol completamente.

No entanto, não se preocupe: só daqui a 600 milhões de anos, a Terra experimentará um eclipse solar total pela última vez.

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário! Ele é muito importante para mim.

Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube. Receba, ainda, novidades e ofertas exclusivas por e-mail inscrevendo-se na newsletter.