quinta-feira, outubro 19, 2017
Início > Ciência > Prometeu e o ‘fantasmagórico’ anel F, de Saturno

Prometeu e o ‘fantasmagórico’ anel F, de Saturno

Prometeu e o fantasmagórico anel F, de Saturno

Desde o lançamento do orbitador Cassini e da sonda Huygens, em outubro de 1997, e do início da operação em julho de 2004, a missão Cassini-Huygens ajuda os cientistas a estudar Saturno e suas mais de 60 luas (satélites naturais). A partir de então, passamos a descobrir particularidades sobre o sexto planeta do Sistema Solar, o segundo maior do conjunto, distante mais de 1,6 bilhão de quilômetros (km) da Terra; e nos acostumar com belas imagens, como a do satélite natural Prometeu, divulgada pela missão esta semana.

Prometeu e o fantasmagórico anel F, de Saturno
Prometeu e o fantasmagórico anel F, de Saturno (Foto: Nasa/JPL-Caltech/Space Science Institute)

A imagem, registrada pela Cassini em maio de 2017 a 1,1 milhão de km de distância de Saturno, revela a interação de Prometeu com o anel F, a mais de 140 mil km de distância do centro do planeta. O estreito e estranho anel tem tais características exatamente por influência das interações gravitacionais do satélite, dando um aspecto meio ‘fantasmagórico’, explicam os cientistas.

O satélite foi rescoberto em 1980, por S. Collins, em imagens registradas pela sonda espacial Voyager 1.

O registro foi feito quando a Cassini estava posicionada atrás de Saturno e Prometeu em relação ao Sol, com ângulo do lado escuro do satélite natural e um pouco da superfície iluminada. Percebe-se, ainda, a diferença entre o brilho do anel da parte mais externa do anel A (à esquerda do centro da imagem) e o resto do anel, o interior do Keeler Gap (ponto inferior esquerdo).

Os anéis de Saturno têm origem desconhecida. De início, acreditava-se que teriam se formado há 4 bilhões de anos, junto com o planeta; mas estudos recentes mostram que eles podem ser mais novos que Saturno. Entre as teorias, está o choque de um cometa com um de seus satélites naturais. Por meio da missão Cassini-Huygens, suspeita-se que eles possuam sua própria atmosfera, independente de Saturno.

A missão Cassini-Huygens é um projeto cooperativo das agências espaciais americana (Nasa), européia (ESA) e italiana (ASI).

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário; ele é muito importante para mim. Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube.


0000000000000000000