quarta-feira, outubro 18, 2017
Início > Atualidades > Dia dos Namorados: 52,2% dos consumidores devem presentear

Dia dos Namorados: 52,2% dos consumidores devem presentear

Dia dos Namorados: 52,2% dos consumidores devem presentear no Maranhão

Apesar da crise econômica e política que o Brasil atravessa, o Dia dos Namorados promete ser esperança de movimento no comércio no Maranhão. É que 52,2% dos consumidores em São Luís revelaram interesse em presentear, segundo aponta o levantamento de intenção de consumo realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA), enquanto 43% afirmam não ter interesse de comprar algum presente para o Dia dos Namorados. E são os homens são os mais predispostos ao consumo, com 58,7%.

52,2% dos consumidores devem presentear no Dia dos Namorados, segundo a Fecomércio-MA
52,2% dos consumidores devem presentear no Dia dos Namorados, segundo a Fecomércio-MA

A notícia parece boa, mas, na comparação com 2016, os dados mostram piora nos resultados, com redução de -11,8% do nível de consumidores que pretendem comprar produtos e um aumento de 23,5% dos consumidores que não irão às compras.

[chart id=”22680"]

O valor médio do presente em 2017 ficou em R$ 154, enquanto a média do valor total da compra, considerando os gastos com a comemoração e aqueles que irão comprar mais de um produto para presentear, ficou em R$ 176. Comparado a 2016, o valor médio do presente teve queda de -1,2%; já o valor médio da compra, observou-se alta de 4,1%, próximo ao nível da inflação acumulada no período de 4,08%.

O levantamento ouviu homens e mulheres maiores de 18 anos nos principais pontos de comércio na capital maranhense e foi realizado entre os dias 15 e 19 de maio de 2017, período em que uma das maiores crises políticas do país foi desencadeada, o que indica, segundo o presidente da Fecomércio-MA, José Arteiro da Silva, que o momento é de replanejamento para os comerciantes.

Esse resultado está vinculado, principalmente, à percepção dos consumidores quanto ao atual cenário de insegurança e instabilidade política que afetam as condições socioeconômicas atuais, como renda e emprego. É importante o empresário perceber que o momento atual não é de reduzir investimentos, mas administrar suas finanças, aguardando a acomodação dos agentes econômicos e mantendo o atual nível de investimento, mediante a estabilização do horizonte de informações que influenciam nossa economia regional

O levantamento mostra que, comparado a 2016, houve reduções de -5% para quem deseja comprar um produto e de -38,1% para quem ambiciona comprar dois produtos, o que mostra que os consumidores estão reavaliando seus orçamentos domésticos para não comprometer suas capacidades de pagamento de compromissos futuros, como analisa o consultor econômico da Fecomércio-MA, Eduardo Campos.

Esse pessimismo do consumidor quebra as expectativas favoráveis à recuperação econômica que vinham sendo formadas nos últimos meses e comprovadas pelos indicadores econômicos. Evidenciava-se no comércio varejista ampliado maranhense, por exemplo, variação positiva na comparação anual de 4,2% no volume de vendas, segundo a última Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE. Somam-se a este dado, as expectativas de recuperação de receitas, que em face da turbulência política, comprime momentaneamente o ímpeto do empresário em realizar novos investimentos.

Vestuário na preferência para o Dia dos Namorados

Na análise dos produtos preferidos pelos consumidores, os setores de vestuário, higiene/perfumaria e calçados compõem os três primeiros segmentos em intenção de compras.

[c[chart id=”22682"]p>Na análise sobre a intenção de comemorar o Dia dos Namorados, houve redução de -15,6% entre os que desejam celebrar a data e aumento de 30% dos que não desejam comemorar.

Maior parte dos casais pretendem comemorar o Dia dos Namorados sem comprometer as finanças
Maior parte dos casais pretendem comemorar o Dia dos Namorados sem comprometer as finanças

O pagamento à vista em dinheiro continua sendo a preferência dos consumidores mesmo com a redução de -6% comparado ao ano passado; e o uso do cartão de crédito, que aparece em segundo lugar, também reduziu em -2,5%.

Quanto aos locais de compras, destaca-se que as lojas de shopping centers ainda são a preferência dos consumidores, mas apresentaram forte redução, de -25,8%, em comparação aos locais mais populares, como principal centro comercial de São Luís, a Rua Grande, que apresentou aumento de 69,1% e as lojas de rua/bairro/galeria, com 37,8%.

Isso, segundo a análise da Fecomércio-MA, se dá mediante à percepção dos consumidores de que esses são estabelecimentos que oferecem produtos mais populares e com preços mais acessíveis.

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário; ele é muito importante para mim. Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube.


000000000000000000
Maurício Araya
Jornalista graduado (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 Maranhão; e vencedor de duas etapas estaduais do Prêmio Sebrae de Jornalismo, categoria Webjornalismo
http://www.mauricioaraya.com.br