4 exercícios para aprender a gostar mais de si mesmo e ser seu melhor amigo

B02 - 468x60 calças
Todo dia, você se cerca dos seus companheiros no trabalho. Chega em casa e corre para conversar com a família. Nos fins de semana, sai e se diverte: mas sempre acompanhado. Se você não vai à esquina sem uma companhia, é bom começar a procurar ajuda: você está fugindo de si mesmo. Dá para aprender a gostar mais de si mesmo?

A psicoterapeuta Maura de Albanesi – mestranda em Psicologia e Religião pela PUC-SP, pós-graduada em Psicoterapia Corporal, Terapia de Vivências Passadas (TVP), Terapia Artística, Psicoterapia Transpessoal e Formação Biográfica Antroposófica – exemplifica que fugir de si mesmo seria como se imaginar convidando alguém que você não suporta para passar um fim de semana na sua casa de campo.

Quando não tem ninguém ao redor, a pessoa é obrigada a estar com ela. E se há um desconforto de estar só, ela não vai conseguir ficar esse tempo sozinha e vai precisar de outras pessoas, porque há uma projeção e toda aquela diluição e, então, ela não entra em contato com ela mesma. Porque a solidão é a ausência de contato com a própria essência
Maura de Albanesi, psicoterapeuta

É preciso ter momentos de contato com sua essência
É preciso ter momentos de contato com sua essência

De acordo com a psicoterapeuta, isso ocorre porque a pessoa não gosta de si mesma e não quer entrar em contato consigo, criando dependência. Mas, obviamente, pondera a especialista, há momentos em que você sente vontade de ficar com outras pessoas, ter essa troca.


Continua após a publicidade

Cadastre-se na Newsletter

E como sair dessa e aprender a gostar mais de si mesmo? Albanesi explica que para sair dessa situação, é necessário ter em mente que, querendo ou não, você está fadado a ficar só com você.

E se você não se gostar, você vai se carregar pelo resto da eternidade. Você pode estar sem ninguém, mas sem você, você não existe. E daí que a gente fala: qual a pessoa mais importante para você? Você mesmo
Maura de Albanesi, psicoterapeuta

Para começar a gostar mais de si mesmo, a psicoterapeuta elenca quatro caminhos:


Continua após a publicidade


Dê quatro motivos porque alguém gostaria de estar do seu lado

“Cite quatro coisas que você acha muito legal do porque alguém sairia do seu espaço e estaria com você. O que você agregaria para essa pessoa?”

Fale quatro itens que você costuma fazer e as pessoas não gostam

“O que você faz ou deixa de fazer que você tem certeza que as pessoas não vão gostar desse seu jeito. Porque na realidade é você que não gosta desse seu jeito”.

Pergunte a si mesmo o que você sugeriria para essa pessoa fazer junto?

“Ir no cinema, no teatro… o que você iria propor? E o que você propõe, você observa se gostaria ou não de estar fazendo isso”.

Marque um encontro com você mesmo

“Na hora que essa pessoa faz essas três perguntas, é como se ela pudesse pegar isso e falar: ‘Bom, então, eu marco um encontro com você’. A pessoa vai marcar um encontro consigo mesmo sabendo que vai ter essas coisas boas, essas coisas desagradáveis e o que vai fazer. E ela vai fazer tudo isso sozinha, vai pegar um final de semana e ter a experiência de viajar com ela mesma. Ela pode até comprar duas passagens”, brinca.

Fobia social: o outro lado da história

Nem sempre quem faz as coisas sozinho está bem. É o que pondera a psicoterapeuta. Nem sempre as pessoas que querem ficar o tempo todo sozinhas têm a autoestima elevada.

É um problema quando a pessoa só quer estar sozinha e nunca quer estar com ninguém. Chamamos de fobia social. Então o exagero dos dois lados é que é ruim. Tudo depende de com que qualidade ela fica a só. Porque se todas as vezes que você for a algum lugar, você só quer ir sozinho e nunca com alguém, aí a gente pode se perguntar se é porque durante a semana você está rodeado de gente, precisa de um retiro… Mas existem pessoas que ficam sozinhas e às vezes com muita angústia, então, precisa ver com que qualidade elas ficam sozinhas
Maura de Albanesi, psicoterapeuta

É necessário viver os dois momentos em equilíbrio, conclui.

Feriados 468x60

Jornalista graduado (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 Maranhão; e vencedor de duas etapas estaduais do Prêmio Sebrae de Jornalismo, categoria Webjornalismo

Visualizar publicações