Ainda em grande número, ocorrências contra bancos no Maranhão têm queda

468x60 Aniversário Americanas

Ações de criminosos contra bancos assustaram moradores de pelo menos 52 cidades maranhenses. Apesar de se manterem altas, as ocorrências contra bancos no Maranhão tiveram queda em 2016, se comparadas ao ano anterior – veja os dados completos e orientações de segurança.

No período, foram registradas 67 ocorrências, incluindo casos de assaltos a bancos, arrombamentos a caixas eletrônicos e agências bancárias, saidinhas bancárias – como são chamados os golpes contra clientes no entorno das agências – e tentativas de assaltos ou arrombamentos. Em 2015, haviam sido 84 ocorrências ao todo.


Continua após a publicidade

Cadastre-se na Newsletter

De acordo com dados do Sindicato dos Bancários do Maranhão (Seeb-MA), dessas 67 ocorrências, 47 foram de arrombamentos de caixas eletrônicos e agências bancárias, 10 de assaltos a bancos, quatro de saidinhas bancárias e seis tentativas de assaltos ou arrombamentos.

No último mês do ano, três agências bancárias foram violadas pelos bandidos e uma tentativa de arrombamento foi registrada no interior do Maranhão.


Continua após a publicidade


Mapa da violência contra bancos no Maranhão

Entre as cidades com registro de violência contra bancos no Maranhão, estão as mais populosas, incluindo a capital, São Luís. No mapa dos criminosos, a preferência é por cidades localizadas ao norte do Estado.

Paraibano, município com população estimada em 20 mil habitantes e localizada no leste do Estado, foi a cidade com maior número de ocorrências: três. Sete cidades registraram ao menos dois casos do tipo: Fortaleza dos Nogueiras, Gonçalves Dias, Igarapé Grande, São Luís Gonzaga do Maranhão, São Mateus do Maranhão, Vargem Grande e Vitorino Freire.

Alcântara, Alto Alegre do Pindaré, Amapá do Maranhão, Anajatuba, Araguanã, Bacuri, Balsas, Barreirinhas, Bela Vista do Maranhão, Bom Lugar, Buriti, Cajari, Campestre do Maranhão, Caxias, Centro Novo do Maranhão, Coelho Neto, Colinas, Duque Bacelar, Governador Eugênio Barros, Grajaú, Icatu, Imperatriz, Jenipapo dos Vieiras, Lago da Pedra, Maracaçumé, Mata Roma, Matinha, Monção, Nova Olinda do Maranhão, Olho-d’Água das Cunhãs, Paulo Ramos, Peri-Mirim, Peritoró, Pirapemas, Porto Franco, Santa Luzia do Paruá, Santa Luzia, Satubinha, São Benedito do Rio Preto, São Domingos do Maranhão, São João dos Patos, São Luís, Timon e Tufilândia registraram um caso cada.

O banco Bradesco teve o maior número de agências danificadas pela ação dos criminosos: 35. Já o Banco do Brasil teve 26 unidades no Maranhão destruídas pelos bandidos.

B03 - 468x60 blusas

Jornalista graduado (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 Maranhão; e vencedor de duas etapas estaduais do Prêmio Sebrae de Jornalismo, categoria Webjornalismo

Visualizar publicações