Saúde também deve ser prioridade para uma viagem tranquila

Casual 468x60
Antes de qualquer viagem, é necessário planejamento e alguns cuidados, em especial com um item pouco lembrado pelos viajantes: a saúde. O Ministério do Turismo alerta para alguns desses cuidados necessários por meio da sua iniciativa Viaje Legal, que reúne dicas e orientações para uma viagem tranquila e segura.

O cuidado com a roupa é um exemplo, seja o destino quente, frio, úmido ou seco. Antes de embarcar, é importante se informar ainda sobre a rede credenciada para o plano de saúde do viajante, apesar de o Sistema Único de Saúde (SUS) garantir acesso universal e gratuito para todos os brasileiros.

Por meio do Viaje Legal, o Ministério do Turismo orienta o viajante a uma série de cuidados que devem ser tomados para garantir um passeio sem problemas. É um importante material que serve para apoiar o turista em vários aspectos, desde a contratação do pacote turístico, passando pelo embarque e hospedagem, até questões de saúde
Isabel Barnasque, diretora interina de Formalização e Qualificação no Turismo

Outro ponto importante é assegurar se a região de destino demanda algum tipo de cuidado especial, como vacinas. A vacina contra a febre amarela, por exemplo, deve ser aplicada 10 dias antes da viagem para regiões com risco da doença. A validade da imunização é de 10 anos.


Continua após a publicidade

Cadastre-se na Newsletter

Crianças, adultos e idosos devem viajar sempre em dia com os exames de rotina e o calendário de vacinas do Programa Nacional de Imunizações (PNI), entre elas, gripe, sarampo, rubéola e paralisia infantil.

Já as infecções podem se manifestar somente após o retorno para casa. Nesse caso, o turista deve indicar o roteiro da viagem para que o médico possa identificar possíveis causas, facilitando o diagnóstico e tratamento da doença.


Continua após a publicidade


Para os adeptos da gastronomia local, um alerta: água não tratada e bebidas preparadas com gelo de origem duvidosa estão entre os principais vetores de doenças. Peixes e frutos do mar podem causar alergias e, em situações mais extremas, até problemas neurológicos. Já alimentos vendidos nas ruas também podem ser uma ameaça à saúde do viajante.

Com informações da Agência de Notícias do Turismo

Banner 468x60

Jornalista graduado (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 Maranhão; e vencedor de duas etapas estaduais do Prêmio Sebrae de Jornalismo, categoria Webjornalismo

Visualizar publicações